//Fiesc mostra inovações tecnólogas na educação, saúde e segurança no trabalho

Fiesc mostra inovações tecnólogas na educação, saúde e segurança no trabalho

O colorido dos jogos, os equipamentos, máquinas e aplicativos exibidos pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) durante a Expolages atraem muitos olhares. Na feira multissetorial é possível encontrar diversas inovações e tendências arrojadas nas áreas educação, saúde e segurança do trabalho. Novidades trazidas pelo Serviço Social da Indústria (Sesi), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Instituto Euvaldo Lodi e sindicatos filiados à entidade.Os irmãos Tiago e Kauan Dagostini, de 7 e 5 anos, quiseram logo subir no kart elétrico exposto no espaço, mas foi manuseando um braço robótico que os olhinhos brilharam. O equipamento é igual aos usados nas indústrias. “Achei muito legal. Parece um videogame”, disse o mais velho encantado com a tecnologia.Os pequenos ficam fissurados com tanta coisa. Ana Clara de Liz Vieira saltitava ao passar por cada fase de um jogo que incentiva os cuidados com uso dos equipamentos de proteção individual. A menina fazia suas escolhas com toques numa tela gigante. “Foi bem divertido. Pude aprender como os funcionários de uma empresa devem se proteger e evitar acidentes”.

Jogo ajuda identificar perfil de atuação numa viagem virtual
O Espaço Educação Maker tem a proposta do “faça você mesmo”, uma cultura moderna com base a ideia de que pessoas comuns podem construir, consertar, modificar e fabricar os mais diversos tipos de objetos e projetos com suas próprias mãos.Usando um óculos e fones de ouvidos, o visitante tem oportunidade de participar de um jogo de perguntas e respostas usando a realidade virtual. Em poucos minutos, é possível saber o perfil maker e qual das áreas de atuação teria melhor aproveitamento.A diretora do Sesi, Silvia De Pieri Oliveira antecipa que para o ano que  vem a unidade terá um espaço com ambientes que favorecem o domínio das novas tecnologias para crianças e jovens de 7 a 18 anos em atividades de contraturno escolar. Apenas Joaçaba, Blumenau e Pinhalzinho contam com esses espaços de educação.“Esses ambientes de arquitetura e pedagogia criativa buscam integrar os participantes por meio de um trabalho colaborativo, multi e interdisciplinar, voltado para o desenvolvimento de competências linguísticas, matemáticas, científicas e tecnológicas, além das habilidades socioemocionais”.

Outros atrativos
Até domingo (15), o público poderá conhecer essas e outras inovações tecnológicas, saber  um pouco mais dos produtos e serviços oferecidos pelas casas e os sindicatos para as empresas, trabalhadores da indústrias e comunidade.
 
Texto e fotos: Catarinas Comunicação