//Delegado da DIC apresenta balanço das atividades

Delegado da DIC apresenta balanço das atividades

O delegado Sérgio Roberto de Souza já esteve em Lages e 2001. Em 2014 foi transferido para Itapoá, depois para Mafra. Já tinha respondido pela DIC- Divisão de Investigação Criminal nos anos de 2013 e 2014. Ao ser promovido optou por Lages, o que contou com o apoio incondicional da Delegada Regional de Polícia Luciana Rodermel. Assim que, ao assumir a direção da DIC, já sabia de antemão, que o crime organizado, o PCG, estava agindo em Lages e Região Serrana, cometendo crimes, espalhando terror e medo à sociedade lageana. O policial e sua equipe passaram a investigar as ações dos bandidos e logo tirou vários elementos de circulação, deixando a cidade tranquila.
Num sucinto balanço realizado à reportagem de O Momento, vale ressaltar que em 2016, 22 crimes foram esclarecidos. E no decorrer do ano em curso, 5 homicídios foram elucidados. Os autores foram identificados e presos. “Além desses casos, ocorreram outros dois, atípicos, pois são latrocínio que é, roubo seguido de morte. Os autores foram identificados e presos. Num desses delitos, 7 pessoas foram presas e aguardam julgamento. É de bom lembrar que priorizamos nossas atuações. Temos como prioridade, a elucidação dos crimes contra a vida e contra o patrimônio, como o latrocínio que choca a opinião pública. Por outro lado, sabemos que, combatendo a organização criminosa, estaremos fragilizando o tráfico de drogas, homicídios e outros delitos, mesmo aqueles praticados por traficantes que comercializam drogas no varejo. Não há diferença, tanto é criminoso aquele que faz tráfico em grande porte, como o delinqüente que comercializa a droga avulsa. Todos são iguais perante a lei. Nossa missão é prendê-los e tirar do convívio social”, observou o delegado da DIC, Sérgio Roberto de Souza.