“Quando a esmola é muita, até o Santo desconfia”

No começo da Pandemia, a estatal até parecia uma aliada contra o sofrimento do povo. Agora quer aumentar a tarifa de energia elétrica. Faca de dois gumes!

Nem bem começou a ficar estável a situação do Coronavirus, depois de ceifar centenas de vidas, a Celesc resolveu colocar as mangas de fora, como já dizia o antigo linguajar popular.  É sempre assim, o povo que paga o pato. Se não bastasse a situação com o Covid 19 e as altas de preços dos gêneros alimentícios, agora vem a Celesc propondo um aumento nas tarifas do fornecimento de energia elétrica. Aliás, ela não está propondo nada, já reajustou 8,14, nas tarifas do consumidor. Por sua vez, o Procon entrou com uma notificação visando suspender o aumento, assim como a Procuradoria Geral do Estado que moveu uma ação judicial por considerar o reajuste abusivo. A Celesc, querendo fazer prevalecer seus intentos assim respondeu: “Não pode a concessionária de energia elétrica simplesmente descumprir suas obrigações, considerando os impactos econômico-financeiros, podendo inviabilizar o atendimento aos consumidores, não aplicando o Reajuste Trifário Anual homologado pela Aneel, sob pena de violação de suas obrigações legais e contratuais junto à ANEEL e ao Poder Concedente, a União Federal. Ou seja, a Celesc jogou a bola prá frente. Agora aparece os cumprimentos de obrigações com a Aneel e também com a União. Na verdade, cada um tem sua parcela de culpa. Cadê os deputados federais e estaduais para defender o povão? Cadê a solidariedade do Governo Federal que só quer dar migalhas ao povo para comprar apoio? Enfim, cadê a Justiça para defender os interesses da população?  Cadê os políticos que agora estão mais preocupados com eleições do que com a situação do povão? Será que vão deixar a Celesc pintar e bordar por cima dos catarinenses? Que apareça alguém para defender os direitos da comunidade. Pelo menos uma vez!

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!