Homem dá trabalho para a polícia e acaba preso com arma

Um homem foi detido por porte ilegal de arma de fogo em Correia Pinto, na tarde desta quarta-feira,03.

Trata-se de ocorrência de porte ilegal de arma de fogo. A Guarnição PM foi acionada via PMSC mobile para averiguar um masculino que estaria fazendo disparos com um revólver em via pública, perto do Bar do Prego no Bairro Nossa Senhora Aparecida, que o masculino estaria em um Peugeot 307 prata, sendo esta a terceira vez no turno de serviço que a Gu foi fazer tal averiguação.

Durante a manhã, a Gu atendeu a mesma solicitação no Hospital Faustino Riscarolli, que um masculino estaria armado no interior do Hospital, feita a abordagem e identificado o masculino como F.P.S., feitas as buscas, mas nada localizado. Já durante à tarde, outra denúncia que o mesmo masculino estaria fazendo manobras perigosas com seu veículo e efetuando disparos, abordado novamente, feito a busca pessoal e no interior do veículo e novamente nada localizado.

Ao chegar ao local onde estaria o masculino, na terceira ocorrência, a Gu flagrou o masculino se evadindo a pé pelos fundos da residência e mercearia de seu pai, não sendo mais localizado, durante a conversa com os familiares, seu pai D.C.S. 44 anos afirmou que seu filho realmente fez disparos com um revólver durante a tarde e que o mesmo estaria totalmente descontrolado, que ele deixou a arma com tal de Marcelinho, na parte de cima do bairro, a Gu deslocou até a casa, indagado o masculino e este relatou não saber de arma nenhuma, que quem sabia da arma seria o pai do masculino, que afirma que F.P.S. realizou disparos de arma de fogo no bairro durante a tarde.

A Gu então recebeu a informação que a arma estaria com o irmão de F.P.S., de nome Willian. Deslocado novamente até a mercearia, feito contato com a avó dos masculinos relatou que teria pegado a arma com o “Mulito”, do Bar do Mulito, sendo então entregue por ela, um revólver calibre 38 com 3 munições deflagradas. Feito rondas, mas o masculino não foi localizado. Diante dos fatos, a Gu qualificou o pai de F.P.S. como comunicante, apreendeu a arma de fogo e confeccionou o presente BO-COP.

Fonte:PMSC 6ºBPM

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!