Falta de papel higiênico se transforma em diálogo áspero na Câmara de Vereadores

Quando não se tem nada de útil para dizer ou para apresentar, qualquer diálogo serve. Ou melhor serve para quem não tem o que fazer. É por isso que alguém diz: “não tinha o que fazer, começou a dizer merda”.  E isso aconteceu na Câmara de Vereadores de Lages. O edil Jair…. Denunciou que tinha sido informado que na escolas da rede municipal de ensino estava faltando papel higiênico, argumento rebatido veementemente pela vereadora Aidamar: “também fui informada e fui um busca das respostas. A informação é que a entrega de mercadorias por parte do fornecedor atrasou, mas agora o papel já chegou”. Por sua vez Jair cutucou: que bom, assim a Educação pode continuar, Aidamar concluiu: “evidentemente que para ter Educação não precisa de papel higiênico né vereador.

O certo é que, o assunto poderia até se prolongar ainda mais, menos mal que resolveram encerrar por aí. Vale lembrar que o papel higiênico é fabricado em Correia Pinto, pertinho de Lages. Se fosse lá na Rússia, até poderia ter uma desculpa pelo atraso da entrega da mercadoria. Copa do Mundo, etc…etc. E tem mais, para ter educação é preciso sim ter papel higiênico. Nenhum aluno ou professor vai querer fazer sua higiene pessoal com o dedo, limpado-o na parede do banheiro. Além de ser antihigiênico é uma falta de educação. Afinal, qual dos dois vereadores estava com a razão?

Certamente nos banheiros dos vereadores e do Executivo não faltou papel higiênico.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!

Deixe um comentário