//Moradores solicitam mais ônibus no Jardim das Camélias

Moradores solicitam mais ônibus no Jardim das Camélias

Os usuários do sistema de transporte coletivo urbano, residentes no  Jardim das Camélias e bairros adjacentes, estão solicitando à empresa que opera nos itinerários de Lages, a Transul, para que se estenda o atendimento até a outros vias públicas daquela periferia. Segundo o gerente de Tráfego da Transul, Genésio Küster, “hoje o Jardim das Camélias e região é servida por 14 horários de ônibus, a partir das primeiras horas da manhã e que vai até certas horas da tarde. O itinerário é pela avenida Juscelino Kubstcheck até ao entroncamento do Acesso Norte na rua Maria Augusta de Oliveira. Nessa avenida, existem dois pontos que a margeiam, onde tem uma densidade populacional maior”, informou Küster.

Empresa trabalha com números

Na verdade, os usuários querem que os ônibus da Transul trafeguem por outras vias públicas, onde ainda não há infra estrutura, principalmente pavimentação, o que se torna quase impossível. Para Genésio Küster, “querem a extensão do tráfego, o que preocupa é que, a avenida Juscelino Kubistchek é uma via com duas pistas, sem segurança e sem  uma ilha de conversão. As placas de sinalizações existem, principalmente as de velocidade; porém, há condutores que trafegam acima de 100kM por hora, o que representa um perigo até para os moradores. A idéia que surge, já que a população está pedindo, é fazermos um projeto experimental, definir alguns horários, e, depois acompanhar os números. Tomamos conhecimento da manifestação de alguns moradores através de uma emissora de rádio local. Vamos observar e dar resposta. O presidente do bairro do Jardim das Camélias já havia nos procurado e feito o mesmo pedido. Ao tomar conhecimento da quantidade de horários existentes, ficou satisfeito, pois desconhecia. Há no percurso, locais onde há somente plantações de pinus, esperamos que os moradores da margem esquerda da avenida, utilizem os ônibus, já que estão solicitando. Por outro lado, esperamos que não surjam outros interesses forçando o município a realizar pavimentação sem contribuição de melhoria.” observou o gerente de Tráfego da Transul. Ainda para Küster, “não só em Lages, como em todo o Brasil, a queda do uso de transporte coletivo urbano é geral, e por vários motivos. A começar pela crise econômica, o desemprego, altos custos das manutenções de ônibus, e o abandono do sistema de transporte por outros motivos. Entretanto, lembramos que: Trabalhamos com números. Precisa haver usuários” concluiu o Gerente de Tráfego, o popular Küster.