//Caminhão cai de ponte e motorista desaparece nas águas do Rio Pelotas em São Joaquim

Caminhão cai de ponte e motorista desaparece nas águas do Rio Pelotas em São Joaquim

O corpo de bombeiros de São Joaquim, juntamente com a equipe de mergulhadores da cidade de Lages, se dirigem até a ponte do Rio Pelotas, entre as localidades de Luizinho em São Joaquim e Ronda em Bom Jardim da Serra, para fazer a busca de um jovem de 31 anos, motorista de um caminhão que está desaparecido desde domingo (02).


De acordo com as informações prestadas pelos próprios familiares, o motorista Jairo Velho Valim, de 31 anos, natural do Município de São José dos Ausentes, no Rio Grande do Sul, caiu com seu caminhão, um Mercedes Benz de cor azul já pelo domingo de manhã em direção ao município de Bom Jardim da Serra, antes de sair ele teria relatado os familiares que ele iria voltar pelo lado do Luizinho (em São Joaquim) por um trecho onde ele não havia passado antes. Jairo justificou aos seus familiares que teria negócios para fazer nessa localidade.Passado o dia inteiro de domingo, o motorista do caminhão não retornou para sua casa e os familiares chegaram emitir diversas notas de desaparecimento nas rádios locais.
Já na manhã desta quarta-feira (05), após as águas do rio baixar em um pouco, foi avistado a roda de um caminhão, que provavelmente seria o caminhão onde estava o jovem Jairo Valim. O Corpo de Bombeiros foi então acionado e se dirige ao local com equipe de mergulhadores. A suspeita é de que com o rio cheio o caminhão tenha sido arrastado pela correnteza.Ainda é válido lembrar que o estado desta ponte é precário, ela é muito baixa e seguidamente quando chove a água do rio chega a cruzar diversas vezes sobre ela causando não são transtorno mas um perigo iminente aos seus usuários.Os motoristas, inclusive, relataram que ponte do lado de Bom Jardim é mais alta, chegando na metade da ponte ela apresenta um declive acentuado de em torno de 40 cm, criando a falsa ilusão de que está fraca pois, daquele lado a ponte é bem mais alta e consequentemente passa menos água e a mesma não possui nenhuma sinalização deste traiçoeiro declive.

Fonte: ww.saoaquimonline.com.br

Fotos CBM/SC