//Carmen Zanotto participa de evento que alerta sobre os riscos da prematuridade

Carmen Zanotto participa de evento que alerta sobre os riscos da prematuridade

 

A prematuridade é um grande problema de saúde pública no Brasil. Além do risco de morte para a mãe e o bebê, o nascimento prematuro deixa marcas psicológicas permanentes para as famílias e é a principal causadora de sequelas de saúde nos recém-nascidos, muitas vezes acarretando danos incapacitantes.

Na avaliação da deputada Carmen Zanotto (PPS-SC), que preside a Frente Parlamentar Mista Pela Causa da Prematuridade, o governo e a sociedade devem priorizar esse tema para melhorar a qualidade do tratamento aos nascidos prematuros, inclusive fora do hospital, e para reduzir o elevado índice de nascimentos nessas condições.

Autora do projeto (PL 10739/2018) que torna oficial o “Novembro Roxo”, Carmen participou nesta terça-feira (06), na Câmara dos Deputados, do evento que marca a abertura da campanha em todo o país. O Dia da Prematuridade é celebrado em 17 de novembro.

“Precisamos trabalhar pela redução do número de partos por cesariana e de nascimentos de crianças prematuras. Sabemos que a ciência e as técnicas têm avançado muito em relação ao parto humanizado”, afirmou Carmen.

A proposta da parlamentar dispõe sobre a realização anual de atividades e mobilizações direcionadas ao enfrentamento do parto prematuro e na assistência, proteção e promoção dos direitos dos bebês prematuros e suas famílias.

De acordo com o Ministério da Saúde, nascem no país 931 prematuros por dia, o equivalente a 40 por hora. A taxa de prematuridade é preocupante, com 12,4% do total de nascimentos. Este índice é o dobro do dos países da Europa.