//Uma noite inesquecível…

Uma noite inesquecível…

Assim, pode-se definir o que se viu no Teatro Marajoara na sexta, 21 de julho: Um espetáculo inesquecível! O 5º Festival Internacional Música na Serra é sucesso absoluto e isso ficou comprovado através dos aplausos do público que lotou o Teatro Marajoara. Mais de 700 pessoas, puderam encantar-se com uma noite que mesclou orquestra, coral e dança.A primeira apresentação contou com a Orquestra Infanto Juvenil, regida pelo Maestro André Santos, que iniciou com o maravilhoso “Uma noite no Monte Calvo”. Após, a orquestra juntou-se ao Coral Infanto Juvenil e Infantil, regido pela professora Regina Kinjo. Essa foi a hora de Heitor Villa-Lobos com seu “Trenzinho do Caipira”, emocionar o público. O Coral Adulto encerrou com chave de ouro o canto coral do Música na Serra. Aplausos eufóricos ecoaram pelo Teatro.

Mas, muito mais estava por vir… E veio!

Regidos pelo maestro Jean Reis, diretor artístico do festival, a Orquestra de Violoncelos posicionou-se, apresentando Bach, o público em total silêncio sorveu a melodia emocionado. Mas, foi quando o soprano Jéssica Leão soltou sua voz, na Bachiana Cantilena, acompanhada pelos violoncelos, que o ballet do Festival fez mágica no Marajoara. Os bailarinos da academia de dança Movere, da professora Mayra Ceron Pereira, flutuaram pelo palco ao som de Bach e da voz incrível de Jéssica Leão. Uma coreografia que parecia caída do céu… Era a dança a serviço da música… Uma união perfeita e inesquecível.O público aplaudiu de pé, como que implorando que aquela imagem dançante melodiosa não tivesse fim. E não terá, porque a emoção daquele instante ficará guardada. Assim, foi a penúltima noite do Música na Serra. Um encanto! Um sucesso! E hoje, sábado, 22 de julho, grande noite de encerramento do festival com a apresentação da Orquestra Sinfônica Música na Serra, regida por Jean Reis. Noite imperdível! A partir das 20 horas, com entrada gratuita, o Teatro Marajoara, será palco novamente de mais uma emoção espetacular!

Fotos :Memorizze/André Arcenio