//Diretor presidente da Berneck visita terreno e anuncia terraplanagem para março

Diretor presidente da Berneck visita terreno e anuncia terraplanagem para março

Um dos maiores empresários do ramo no Brasil esteve em Lages na tarde desta quarta-feira e elogiou qualidade da área

A 13 dias da chegada de 2019, Lages se depara com uma boa notícia no âmbito da economia, relacionada à instalação da empresa Berneck. O diretor presidente da empresa, Gilson Berneck, supervisionou a área na tarde desta quarta-feira (19 de dezembro), com uma comitiva de profissionais responsáveis pelo empreendimento, pelo prefeito Antonio Ceron; secretário de Planejamento e Obras, Claiton Botoluzzi, e o procurador-geral do Município (Progem), Agnelo Miranda. A vistoria se motivou pela necessidade de verificar pessoalmente a demanda de adequações no terreno.A mega unidade de Lages terá como produto final a fabricação do volume de 500 mil metros cúbicos de MDF por ano e 400 mil metros cúbicos ao ano em serrados. A maioria, 70% da produção de MDF, será destinada ao mercado interno regional e nacional, e o restante ao mercado externo – países da América do Sul, Estados Unidos e China. O foco de mercado é a indústria de móveis, construção civil, automotiva, eletrônica, e embalagens.Na unidade de co-geração a ser implantada junto à indústria, a potência de consumo será de 20 megawatts e geração de 30 megawatts. De água serão consumidos 18 metros cúbicos por hora. O fluxo de caminhões será de 376 ao dia (recebimento de toras, toretes, biomassa e resina; almoxarifado e diversos, e expedição de cinzas, serrados e de painéis).Com investimentos de R$ 800 milhões na estrutura física com quase 99 mil metros quadrados, a terceira unidade do grupo deve gerar 550 empregos diretos. A Berneck tem filiais em Curitibanos e Araucária (PR).

Os próximos passos para a implantação da filial de Lages são o levantamento e a contratação de empresa para executar o movimento de terra, com preferência por empresas locais e com condições de estrutura para cumprir o cronograma no curto prazo de tempo, em três ou quatro meses, sem demora e sem atraso, pois o corpo diretivo conta com a agilidade para que tudo ocorra com normalidade e margem mínima de imprevistos. O planejamento é de em janeiro de 2019 lançar o edital de terraplanagem e no mais tardar em março as máquinas de nivelamento já devem ser vistas em movimento às margens da BR-116, próximo à ponte do rio Caveiras, na divisa entre Lages e Capão Alto.O barracão principal deve estar pronto até final de 2019, período de chegada dos primeiros exemplares de equipamentos. Aí em diante há o prazo de mais oito meses para montagem. No final de 2020, com quase 100% concluídos, pois a serraria ficará para junho de 2021, o grande negócio estará em operação embora parcialmente.Até o final desta semana será encerrada a compra de 80% do maquinário a compor o parque fabril. Os equipamentos da fábrica de painéis são de origem da Alemanha, Suíça, Finlândia e Itália. Na serraria, as máquinas são provenientes do Canadá, Áustria e Alemanha. A caldeira, considerada o coração da empresa, virá do mercado nacional, o primeiro negócio fechado depois de dois anos de estudo, confeccionada na Caldema, em Sertãozinho, interior de São Paulo. Este dispositivo irá gerar 30 megawatts de energia. “A Berneck já se sente em casa em Lages, onde fomos bem acolhidos e esta é a minha primeira visita sem as árvores, o que dá uma noção melhor do terreno. Então percebemos que está melhor do que pensávamos vendo somente por imagens, me surpreendi positivamente. É um terreno alto e a localização é fantástica, ao Sul de Lages e ao Norte do Rio Grande do Sul. A intenção é receber madeira também desta região”, observa o proprietário Gilson Berneck, acrescentando, ainda: “Lages vai ter uma indústria bonita, com seus 500 empregos diretos no mínimo. Temos uma extensa área florestal em Santa Catarina e temos uma boa história pela frente para escrevermos juntos. Estamos felizes em estarmos aqui nessa cidade espetacular. Em dois anos queremos ver tudo pronto. A partir de agora haverá uma sequência de vindas ao município para acompanhar o andamento do processo de instalação, seguramente uma vez por mês.”A comitiva de especialistas da Berneck é da área de gerência e administração da fábrica, sendo que o profissional atualmente está em Curitiba em mudança para Lages; gerência de projeto; gerência de instalação, e empresa terceirizada para cálculos de fundação de maquinário. A empresa Zago, de Lages, é uma das prestadoras de serviço. Membros das famílias estão diretamente envolvidos. O filho de Gilson, chamado Daniel, é quem dirige toda essa área de painéis, e o genro Fernando é responsável pelo departamento de serrados. “Estou satisfeito com o atendimento tido da prefeitura e do governo, sempre prontamente bem atendidos.”O Município tem acompanhado os trâmites. “Esta é praticamente a primeira visita da equipe da empresa ao terreno agora já todo de posse da empresa e os trabalhos de retirada dos pinheiros estão em continuidade. Matéria-prima tem em abundância e mão de obra qualificada, com aperfeiçoamentos. Centenas de famílias serão beneficiadas. A expectativa otimista da reunião que tivemos hoje é de que em janeiro esteja na praça a chamada pública para terraplanagem e a ótima novidade é de que antes do final de 2020 Lages terá esta grande indústria para movimentar nossa economia, gerar riqueza e, principalmente, o emprego de mais de 500 pessoas com carteira assinada”, salienta o prefeito Antonio Ceron.

Segue e remoção de árvores

A empresa FRP Florestal (Ponte Alta do Norte) mantém o trabalho de corte raso e retirada dos pinus (pinheirinho americano) e a Kim Logística e Transporte Rodoviário, de Santa Cecília, está fazendo o transporte das árvores com caminhões bitrem até a indústria de Curitibanos, à margem da BR-470, onde o elemento serve como matéria-prima para a produção de painéis em MDF e serrados. Os de circunferência grossa, com idade estimada em aproximadamente 18 anos, tem a ponta fina aproveitada para a parte de MDF e debaixo como madeira para serrados.

No local são três máquinas de corte e picadora (harvesters), e mais três de carregamento (forwarders). Há também o serviço de motosserrista em casos específicos, por exemplo, onde há difícil acesso da máquina em solo acidentado ou de ângulo superior ao seguro para operação da máquina harvester. A área delimitante de propriedade da Berneck para corte é estabelecida com uma marca de tinta branca nos pinheiros das pontas das fileiras.

Entre 50 e 60 caminhões entram e saem do reflorestamento diariamente, o que significa em torno de 30 caminhões por rodada. Cada carga de bitrem é de 40 toneladas. A habilidade da operação e a tecnologia dos aparelhos garantem o tempo médio de cinco minutos para carregar um caminhão. Uma oficina mecânica montada dentro de um caminhão furgão assegura a manutenção preventiva e remediadora aos equipamentos.

Berneck de Lages produzirá 30% a mais na serraria e 25% a mais de MDF, em comparação a sua unidade de Curitibanos. A projeção é de R$ 650 mil por mês de retorno do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), com a movimentação de aproximadamente R$ 50 milhões em mercadorias. A Berneck comemora 66 anos de história em 2018.