//Campeões do velocross solicitam auxílio à Prefeitura para participar de novas competições

Campeões do velocross solicitam auxílio à Prefeitura para participar de novas competições

Laís Nunes abocanhou o 1º lugar na categoria VXF e 1º na Junior agora em março na 2ª etapa da Supercopa Alto Vale de Velocross, em Imbuia

Os atletas de Lages, Laís Nunes (Lalá) e Ricardo Gargioni, colecionadores de títulos no velocross, visitaram o prefeito Antonio Ceron na tarde desta quinta-feira (21 de março). Laís levou os dois mais recentes troféus conquistados no final de semana de 9 e 10 de março, em Imbuia, no Vale do Itajaí, durante a Festa Estadual do Milho Verde, na Supercopa Alto Vale de Velocross, arrebatando o 1º lugar na categoria VXF e 1º na Junior. Na 1ª etapa da Supercopa Alto Vale de Velocross, em Lages, a garota ficou em 1º lugar na categoria VXF e em 2º na categoria Cidade.

A moça lageana de 14 anos mora no bairro São Cristóvão e estuda o 1º do ensino médio no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e não vê enrosco algum em conciliar os estudos e a paixão pelo ronco das motos, o que exige preparo físico, treino, extrema concentração e boas condições da motocicleta. Ela é incentivada pelo pai, Sérgio Nunes, que participava de trilhas e corria pela Endorphine. Desde criança a menina agarrou com unhas, dentes e guidões a oportunidade de ser uma grande campeã na modalidade.

Dona da moto modelo CRF 230 e de uma bicicleta Cruiser, Laís tem, na sua coleção de dar inveja, mais de 100 troféus, além de medalhas no bicicross. Os três títulos mais memoráveis para ela são o primeiríssimo lugar na Copa Grande Floripa 2018 na categoria VXF, 3º lugar na Supercopa de 2017 e 4º lugar na Copa Serra Litoral em 2015.

Ela, o pai Sérgio Nunes e o piloto Gargioni estiveram no gabinete do prefeito Antonio Ceron e conversaram sobre um pedido de auxílio financeiro para custear as despesas em disputas fora de Lages, entre as quais manutenção da moto em dia, principalmente com pistões, motor e suspensão, combustível, óleo diesel, macacão, capacete, equipamentos de segurança, inscrição, acampamento e alimentação. Apesar do amor pelo esporte, os gastos chegam a R$ 1 mil a cada prova, investidos pela família.

O apoio dos patrocinadores ajuda, mas nem sempre é suficiente para garantir a presença da piloto em todos os locais. Os apoiadores são Tech Motos, HParts, Baterias Moura, Discbal Baterias, Pereira Publicidade e Camden Escola de Idiomas. “Estes lageanos representam Lages por onde vão e incentivam o esporte, uma de nossas principais defesas por acreditarmos em um futuro mais especial e promissor as nossas crianças. A prefeitura pode ajudar na medida do possível e, na forma da lei, buscaremos uma maneira de contribuir para o velocross”, adianta o prefeito.

A 3ª etapa da Supercopa, mobilizando inúmeros pilotos de Santa Catarina, será em abril em Ituporanga. Ao todo são dez etapas/Liga Catarinense de Motociclismo e Automobilismo (Limasc).

As duas próximas disputas serão em Lapa (PR) neste domingo (24 de março) e em Canelinha dia 7 de abril, no Campeonato Brasileiro de Velocross. Haverá corridas também em cidades gaúchas. O evento é promovido pela Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM).

Em setembro será a vez do Campeonato Sul-Brasileiro de Velocross, com três etapas realizadas nos Estados da região Sul. “É um esporte difícil e perigoso, e também tem a questão do apoio financeiro. A diferença física pesa, pois sempre estou no meio de competidores homens e alguns não aceitam perder para uma menina, ou quer derrubar. Eu estou pronta para qualquer parada, me preparo e gosto de ser competitiva, amo correr, faço com amor, profissionalismo e maturidade”, confessa Laís, que sonha ser campeã brasileira e jamais abandonar os pedais e as duas rodas.

Esporte apenas de meninos? Nada disso, ela está bem acostumada com a velocidade média de 80 quilômetros por hora na terra e de alta velocidade em 115 a 120 por hora, dependendo da sinuosidade da pista. Colegas de Laís também aparecem no cenário de mulheres no velocross, a exemplo de Amábile Cardoso, Sabrina Nowasik e Micaella. Contudo, outro assunto toma conta de seus pensamentos de vez em quando: “Quero ser médica, mas sem deixar o motociclismo esquecido.”

Ricardo Gargioni tem 38 anos e já alimenta no filho Davi, de apenas seis anos, o carinho especial pelas motos. O filho do piloto já corre, misturando brincadeira com coisa séria e espírito de competição. “Ele estreou na Supercopa. Está em 3º lugar na categoria 55 Cilindradas. Um desafio prazeroso para ele e para mim”, confessa o pai orgulhoso.

Gargioni foi 1º lugar na categoria Nacional 230cc e 1º lugar na categoria Nacional Força Livre da 2ª etapa da Supercopa. O encontro desta quinta-feira com o prefeito foi acompanhado pelo vereador Gerson Omar dos Santos.

Calendário completo do Campeonato Brasileiro de Velocross:

1ª etapa – 24/03 – LAPA (PR)

2ª etapa – 07/04 – CANELINHA (SC)

3ª etapa – 19/05 – ARROIO DO MEIO (RS)

4ª etapa – 23/06 – SEDE A DEFINIR

5ª etapa – 21/07 – SEDE A DEFINIR

6ª etapa – 04/08 – TAPEJARA (RS)

7ª etapa – 15/09 – CANOINHAS (SC)

8ª etapa – 20/10 – DATA RESERVADA