//Procon pesquisa mercados e nota preço de até R$ 333 por quilo do ovo de Páscoa

Procon pesquisa mercados e nota preço de até R$ 333 por quilo do ovo de Páscoa

E não é só isso: a caixa e a barra vêm ficando menor a cada ano. Época que era para ser doce pode se tornar salgada quando a criançada fica eufórica e tenta pressionar os pais, que devem estar prudentes às tentações

Nos dias 22 e 25 de março o Programa de Defesa do Consumidor (Procon) desenvolveu uma pesquisa de preços do doce mais típico da Páscoa em todo o mundo: chocolate, nos formatos de ovos, barra e caixa. A verificação de valores foi realizada nos nove maiores supermercados de Lages, considerando as três maiores e mais conhecidas marcas do segmento: Nestlé, Lacta e Garoto. O órgão de proteção ao consumidor constatou que o ovo de chocolate é a forma de produto mais cara que existe. O preço do quilo pode chegar a R$ 333, enquanto o preço da caixa e da barra é bem mais acessível. Para demonstrar, o ovo da Lacta de 157 gramas custa R$ 26,66 no estabelecimento mais barato e R$ 49,99 no de maior valor.

Em comparação a outras pesquisas realizadas anteriormente foi averiguada a crescente redução da gramatura da caixa. A caixa de chocolate que antigamente pesava 400 gramas tem diminuído, e hoje está em torno de 300 gramas, porém, o preço está elevado mesmo com o peso menor. Em 2017, a caixa da marca Lacta pesava 302 gramas (peso mais comum) e custava R$ 8,38 (preço médio); em 2018 era de 289,2 a R$ 9,63, e em 2019 pesa 250,6 e custa R$ 9,94, ou seja, 19,10% de variação do preço do quilo comparado ao ano anterior. Em relação ao preço do chocolate em caixa, no geral o quilo fica entre R$ 28,63 e R$ 39,66.

Na barra, a maior variação de preço do quilo comparado ao ano anterior é de 4,46%, sobre a marca Nestlé, em que no ano de 2017 o peso era de 150 gramas a R$ 5,94; em 2018 era de 100 gramas a R$ 4,71, e em 2019 é de 100 gramas e custa R$ 4,92.

Aos cidadãos é aconselhada a pesquisa detalhada de preços, com definição da lista de quem serão as pessoas presenteadas e evitar levar as crianças para as compras de Páscoa nos supermercados para não influenciar no exagero e poder limitar o orçamento, pois o chocolate é uma recordação da data comemorativa, mas as despesas fixas do mês transcorrem normalmente. Uma alternativa é combinar com o filho sobre a escolha de um personagem que ilustra a embalagem e ficar atento ao valor de acordo com o tipo de ovo (comum, trufado ou recheado) e presença de bombons e brinquedos internos. “Os consumidores podem se utilizar da tabela de pesquisa do Procon como uma referência para saber o valor médio do quilo de chocolate e passar nos supermercados pesquisando sem pressa e com cautela no bolso”, alerta o coordenador executivo do Procon em Lages, Júlio Borba. A planilha completa está em http://procon.lages.sc.gov.br/pesquisas.

O Procon presta atendimento diário aos consumidores de segunda a sexta-feira, das 12h às 17h, incluindo orientações jurídicas, cálculos de juros e entrega da cartilha para prevenção a endividamento para todo o público recebido nos guichês. Está localizado na rua Martinho Nerbass, nº: 29, Centro, próximo ao Terminal Urbano. Contatos: 3222-3921/3229-2752/3222-0908/3222-1096/3222-6960/e-mailatendimentoprocon@lages.sc.gov.br. Outras informações podem ser acessadas em http://procon.lages.sc.gov.br/.