//Esgoto da Cohab enfim solucionado

Esgoto da Cohab enfim solucionado

O diretor de Convênios e Procurador do Município, André Pereira Arruda, explica à reportagem de Notícia no Ato, a questão que foi solucionada sobre a Caixa de Esgoto da Cohab, em Capão Alto, que na administração passada não foi concluída. “Essa situação, foi encontrada logo de início de governo. Existia naquele local mais de 12 famílias passando por esse problema, pois o esgoto sanitário não era o adequado. E tal como foi encontrado, a solução seria fazer uma fossa séptica para cada residência. Encontramos apenas uma de tamanho inadequado para todas as residências. Isso era humanamente impossível viver naquelas condições. Era ineficiente e inadequado. Então, nesse sentido,  realizamos uma consulta com nossos engenheiros e conseguimos encontrar uma empresa. E hoje o projeto está aprovado, principalmente na questão do Meio Ambiente para atender aquela comunidade da melhor forma possível. Isso foi o que fizemos. Até esperamos que a comunidade esteja contente. Enfim, foi um problema de anos solucionado para a comunidade. Os vereadores, sempre passavam, reclamavam, indagavam e cobravam soluções. Hoje, graças a Deus, o município vem de uma saúde financeira muito boa, vem dentro do possível, sem dar passos largos, resolvendo as questões mais urgentes da comunidade. Essa aí, é uma delas, que foi solucionada de forma adequada. O que importa é resolver os problemas de forma definitiva. E que possamos daqui há duas décadas não encontrar com os mesmos problemas de hoje”, explica André Pereira de Arruda.

Legislações conflitantes

  O diretor de Convênios e Procurador do Município de Capão Alto, continua sua explicações: “Devemos entender, que, as prefeituras, no Brasil, estão altamente burocratizadas atualmente. Existem excessos de legislações que necessitam ser observadas. Muitas delas, às vezes conflitam entre si. Não deixam que a Prefeitura haja de forma rápida e dê uma resposta satisfatória a contento para a população, por conta de que tem que respeitar prazos edital aberto, tem que procurar vários orçamentos; enfim, uma série de  atos que as pessoas, por não terem convívio diário e administrativo do poder público, acabam não compreendendo. Pensam que a administração municipal está fazendo pouco caso, ou está de maneira morosa, procurando resolver o problema. Quando, na verdade, é o contrário. Aqui  sofremos com esse tipo de situação. Encontramos licitações onde não aparecem licitantes, tendo que reabrir um novo procedimento, e isso leva tempo. E o problema que está lá, não seja resolvido. O que temos procurado fazer aqui, com os “pés no chão” é fazer que as coisas de maneira convicta aconteçam para que possamos cumprir como determina a lei. Para que possamos chegar no final e não termos que refazer esse serviço. Por isso que pedimos à população um pouco de paciência. A Prefeitura  através do seu corpo técnico está sempre à disposição para esclarecer as dúvidas e resolver os problemas.”, concluiu o Procurador do Município, Dr. André Pereira de Arruda.