//Qualifica Mais Lages capacita 16 profissionais para funções de garçom e garçonete

Qualifica Mais Lages capacita 16 profissionais para funções de garçom e garçonete

“Este foi o primeiro curso da minha vida”.  Gilson Leopoldo Mota

Um dos preceitos adotados por inúmeras cidades brasileiras neste panorama de uma gradativa retomada econômica e empregatícia compreende a aposta na qualificação de mão de obra, para que as empresas possam se sentir atraídas pelos cidadãos com melhor preparo para ocupar suas vagas e justificar a competitividade no mercado de trabalho. Em Lages, a Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo, por intermédio do Programa Qualifica Mais Lages, em parceria com o Banco do Emprego, tem aplicado a metodologia de capacitar as pessoas que se vêem acuadas diante da falta de oportunidades. O Qualifica Mais Lages é uma das iniciativas da Secretaria postas em prática com aval do secretário Mario Hoeller de Souza.Na tarde desta sexta-feira (28), a primeira turma do curso de garçons de 2017, formada por 16 alunos e alunas, concluiu suas aulas e recebeu seus certificados, documento que poderá compor seus currículos a partir de agora, comprovando o aperfeiçoamento. Mesmo com os certificados recentes em mãos, já foram anunciadas aos garçons e garçonetes algumas vagas abertas em bares da cidade.O diretor de Turismo, Luís Carlos Pinheiro Filho, argumenta que atualmente as pessoas enfrentam dificuldades em manter uma capacitação permanente. “E as que chegaram até aqui é porque demonstraram grande interesse, e após abrem-se portas para que possam desenvolver sua atividade profissional. É salutar o trabalho desenvolvido pela Secretaria e o esforço individual dos formados.” A unificação municipal das áreas da economia e do turismo foi estrategicamente decidida para oferecer serviços mútuos e correlatos. “O curso em questão tem tudo a ver com turismo, uma área ampla. Todos os agentes de uma cidade se transformam em verdadeiros guias de turismo, dependendo das circunstâncias. E os garçons são fundamentais”, completa.

Etiqueta e receptividade

O curso teve duração de um mês (26/06 a 28/07), com 38 horas/aula, e encontros três vezes por semana (segundas, quartas e sextas) na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Turismo, Hospitalidade e de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Lages e Região (Sintratuhl)/patronal, junto à Diretoria de Turismo, na avenida Papa João XXIII.A qualificação foi ministrada por um voluntário, o presidente do sindicato laboral, Jaime Lameu, que doou, além do seu conhecimento, camisetas para todos os participantes do treinamento e os associou ao Sindicato, com planos de saúde e odontológico e corte de cabelos gratuitos.Jaime lembrou que repassou aos alunos as partes teóricas e técnica de etiqueta, além de detalhes como uso do guardanapo de pano, da feiticeira (aparelho removedor de migalhas) e recolhimento de louças, bem como outros requisitos comportamentais; conhecimento sobre cardápio; atenção aos pedidos; higiene pessoal e uniforme; relacionamento no trabalho; equipamentos e utensílios; preparação, arrumação e polimento de utensílios; arrumação básica e completa de mesas; acomodação de clientes; pontualidade; assiduidade; postura sobre gorjetas, e cordialidade. “Se o garçom nunca fez um curso irá trabalhar errado por 30 anos. E se fizer, terá mais oportunidades de emprego”, analisa Lameu.  O garçom tem de atuar de forma satisfatória desde a recepção até a saída do cliente de dentro do estabelecimento. “Saber servir um refrigerante, um vinho, abrir uma garrafa. Como servir uma criança, um idoso. Deve ser discreto e ter uma boa postura”, pontua o instrutor. O gerente do Programa Qualifica Mais, Marcelo Lima, reitera que Jaime já manifestou interesse em treinar uma nova turma em breve. Lameu já capacitou cerca de 500 pessoas, incluindo profissionais que seguiram carreira no Rio de Janeiro.

Esperança

 

Gilson Leopoldo Mota tem 33 anos, é solteiro, e mora no bairro Penha com a mãe. Ele foi um dos alunos do curso e trabalha como garçom desde os 14 anos de idade. Tem vasta experiência e atualmente está desempregado. Até abril deste ano ele trabalhou em um hotel fazenda, onde ficou por 2,8 anos. Por enquanto atua como autônomo em eventos, a exemplo de festas de aniversário e de casamentos, e formaturas. “Eu não poderia ficar de fora deste curso. Mesmo com tanto tempo de atuação ainda havia coisas que eu não sabia, como arrumar uma mesa corretamente, colocação de talheres nos pratos. O que eu sabia até então eu aprendi olhando. Hoje já posso dizer como montar uma mesa, apanhar um copo, como polir um talher. Foi uma grande chance dada pelo Banco do Emprego”, comemora o garçom.O rapaz calcula que em uma noite de trabalho, durante quatro horas, pode faturar até R$ 250. “Este foi o primeiro curso da minha vida. E a partir de então acredito que, com o curso que acabei de finalizar, terei mais oportunidade em bares e na hotelaria por causa do conhecimento.” Gilson confessa que pretende voltar a trabalhar como funcionário, com registro em carteira. “Gosto dessa área e do contato com o público. O curso independe de idade e incentiva os jovens. Com força de vontade é preciso fazer igual a mim, que agarrei a chance com as duas mãos. Estou contente e vou continuar me aperfeiçoando. Valeu a pena.”

Novas qualificações

Os próximos cursos serão de barbeiro e cabeleireiro (corte masculino), com início em 11 de agosto, e o de manicure, pedicure e depilação, que começará no dia 1º de agosto. De agosto a novembro será desenvolvida uma parceria com os campi do Instituto Federal de Santa Catarina (Ifsc) de Lages e de Urupema. Este último irá ministrar a capacitação de serviços em meios de hospedagem. Há, ainda, uma proposta de um curso futuro em manipulação de alimentos para os Microempreendedores Individuais (MEIs) pela parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Fotos: Carlos Alberto Becker