//Bairro Universitário é contemplado com a 46ª Horta Comunitária

Bairro Universitário é contemplado com a 46ª Horta Comunitária

Os cuidados e manutenções do local serão de responsabilidade da comunidade do bairro com apoio técnico da Secretaria de Agricultura

Hortaliças, legumes e temperos orgânicos e fresquinhos, direto da horta. Este é o ideal para manter uma alimentação saudável e garantir qualidade de vida à população, uma das preocupações da administração municipal. A partir de agora a comunidade do bairro Universitário e adjacências poderá desfrutar da 46ª Horta Comunitária, inaugurada nesta quinta-feira (26 de setembro), através do projeto Colheita Feliz, da Secretaria de Agricultura e Pesca.

A horta foi implantada ao lado da Mercearia do Sardá, na esquina das ruas Sebastião Ramos Schmidt e Archilau Batista do Amaral. O terreno estava ocioso e sendo utilizado como depósito de lixo. “Num pedacinho de terra pode ser feito uma horta e fornecer alimentos saudáveis às famílias. Mas além de fazer, nós como poder público também estamos promovendo a conscientização das pessoas”, ressalta o prefeito Antonio Ceron.

Os cuidados e manutenções do local serão de responsabilidade da comunidade do bairro com apoio técnico da Secretaria de Agricultura. “Temos vários outros pedidos e ficamos felizes ao ver que todas as que já foram implantadas estão sendo bem cuidadas pelas comunidades. Isso traz qualidade de vida e economia para as famílias”, diz o secretário da Agricultura, Osvaldo Uncini.

Segundo a presidente da Associação de Moradores, Vilma Souza, o bairro Universitário possui uma estimativa de 85 famílias que vivem em vulnerabilidade social, cadastradas na associação para receber doações, além de outras 400 que vivem nesta região. “Estamos muito contentes com a horta e a comunidade empolgada com a novidade. Alguns já me ligaram oferecendo apoio na manutenção e cuidados com as hortaliças”, afirma.

Esta é a quinta horta que foi produzida com bambus em forma de mandalas em substituição aos pneus, uma nova versão mais sustentável e ecologicamente correta e que também proporciona um visual mais agradável, pois os canteiros podem ganhar formas geométricas. “Nas mandalas plantamos temperos, ervas medicinais e arbustos frutíferos, numa espécie de agrofloresta. Algumas estão sendo utilizadas para fazer a compostagem”, explica a coordenadora Evelin Souza.

A comunidade está sendo convidada a trazer seus resíduos orgânicos para serem transformados em adubo através da compostagem. A população irá receber um guia com todas as dicas sobre como cuidar da horta e fazer a compostagem. Além disso, cada família irá ganhar dois saquinhos de sementes para plantar e iniciar uma horta em suas casas.

Texto: Aline Tives