//Mulheres vítimas de violência doméstica podem ser transformar em exemplos de superação e empreendedorismo

Mulheres vítimas de violência doméstica podem ser transformar em exemplos de superação e empreendedorismo

“(…) A prefeitura dá todo o apoio no que precisarem para provarem a si mesmas o quanto são resilientes.” – Antonio Ceron

As atividades da campanha Outubro Rosa seguem normalmente, e em Lages, nesta quarta-feira (16 de outubro), um roteiro especial favoreceu mulheres atendidas pela Secretaria de Política para a Mulher, vítimas de violência doméstica, devidamente selecionadas para este curso. Entre 2017 e meados de outubro, a Secretaria atendeu 723 vítimas. “Estas mulheres já passaram por estas sérias situações, que podem deixar marcas em suas vidas, e agora merecem novas possibilidades de dar a volta por cima e se mostrarem fortes, cuidar de si mesmas, de sua autoestima, confirmar seu valor e sua capacidade de vencer, retomar as rédeas de sua rotina e da vida dos seus filhos. A prefeitura dá todo o apoio no que precisarem para provarem a si mesmas o quanto são resilientes”, pondera o prefeito Antonio Ceron.

Lages é a primeira cidade de Santa Catarina a desenvolver o Projeto Elas Podem, da empresa Hinode, e servirá como centro de referência para os demais polos seguintes a serem implantados. Esta é uma das propostas executadas pela Hinode e estas mulheres formam o público-alvo do aperfeiçoamento do qual faz parte um curso de autonomia pessoal e econômica ministrado por dois profissionais executivos da empresa, especialista nacional e internacional nas linhas de perfume, maquiagem e cosméticos. Os palestrantes são a team líder, Fernanda Póvoas, e o treinador oficial e acompanhador de vendas, Josivaldo Epifanio da Silva.

O curso consiste em uma parceria da Secretaria de Política para a Mulher, comando da 2ª Região de Polícia Militar (RPM), Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest Senat), Serviço Social do Comércio (Sesc) e Hinode. “A prevenção deve ser uma bandeira permanente e a cada sinal de violência física, psicológica, patrimonial, sexual ou moral, a mulher deve sim denunciar, correr atrás dos seus direitos. Elas vão aproveitar o curso e dele retirar o máximo de aprendizado para dar uma guinada positiva nas suas vidas”, observa a secretária de Política para a Mulher, Marli Nacif.

Sete reuniões

As garotas devem participar de sete encontros às quartas-feiras, das 13h às 17h, na sede do Sest Senat, totalmente gratuitos, e desta experiência devem absorver noções para dar um novo norte as suas vidas depois do sofrimento e do trauma vivenciados com a violência. O encerramento será no dia 27 de novembro. Na finalização de cada módulo, as mulheres receberão uma lição de casa para apresentar solucionada a cada encontro.

Poderão investir em uma carreira de vendedora na Hinode ou simplesmente utilizarem-se das dicas enriquecidas para focar sua energia em um novo trabalho com dinamismo e ambição. A partir da disseminação das informações, as gurias abrirão suas mentes para ganhar a média de R$ 1.200 mensalmente com a venda de cosméticos, perfumes e itens de maquiagem. Da mesma forma, ter renda em outro ramo.

O treinamento irá detalhar os tópicos de conhecimento para o empoderamento e independência financeira, marketing pessoal, força de hábito, meios de empreendedorismo e impulso aos negócios, dinheiro (como ganhar, gestão, gastos, controle), saídas para se livrar do endividamento, condições de seguir com a Hinode e exercícios de vendas. “Fomos convidados para oportunizar este treinamento bem específico por conta do público. A ideia é diminuir as crenças limitantes e, depois de concluídos os trabalhos nos sete encontros, pretendemos formar uma equipe Hinode com as mulheres que mais se destacaram em alta frequência nas atividades, com nosso monitoramento para todas obterem sucesso e seguirem os trilhos da ascensão mediante a aplicabilidade das explicações compartilhadas”, argumenta Josivaldo. Os próximos pontos do Projeto a serem abertos estarão em Florianópolis e em São Bento do Sul. Entretanto, a Hinode mantém células de outros projetos seus em outros municípios.

Onde ir?

A Secretaria da Mulher está localizada na avenida Presidente Vargas, ao lado do Conselho Tutelar e atende de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, direto. Após este horário, contatos por telefone: 98402-9413. Fixo: 3019-7454. Para ser atendida, basta a mulher se dirigir à Secretaria, ou solicitar a visita. Todas as etapas acontecem de maneira sigilosa. O Disque-Denúncia Anônima é o 180, ligação para a Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI), com encaminhamento para a Secretaria da Mulher, Centro de Referência de Assistência Social (Cras) ou Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), dependendo da demanda.

A brasileira de 30 anos

Genuinamente brasileira, a Hinode possui 30 anos de história e está sediada em Alphaville (SP). Sua fábrica de 12 mil metros quadrados está instalada na cidade paulista de Jandira e dá emprego para 450 trabalhadores.

A empresa possui 600 mil vendedores distribuídos em diversas partes do país. Para adquirir os produtos, os clientes acessam catálogo impresso, ou o site da empresa, ou uma loja física.

São 420 lojas físicas, Lages tem uma franquia. Outras quatro lojas estão fora do Brasil: Lima (capital do Peru), Bogotá (capital da Colômbia), Quito (capital do Equador) e Santa Cruz de La Sierra (Bolívia). A Hinode nasceu da ousadia do ex-torneiro mecânico, Francisco Rodrigues, e da ex-costureira, Adelaide Rodrigues.

Visita à sede do Sest Senat

A nova estrutura física do Sest Senat, à margem da BR-282, acesso ao litoral, foi conhecida por profissionais da Secretaria de Política para a Mulher e da Polícia Militar (PM), apresentada pelo diretor da instituição, Renato Macedo. “Somos inteiramente ativistas do Outubro Rosa. Nosso enfoque é no transporte, com palestras e outros tipos de intervenções de atenção à mulher nas empresas do segmento. Em uma sociedade, uma entidade não faz nada sozinha. É preciso trabalho em sinergia. E uma de nossas interfaces de atuação são os cuidados com as mulheres motoristas”, pontua o diretor. O Sest Senat dispõe, aos trabalhadores do transporte, serviços odontológicos, de nutricionista, psicológico e de fisioterapia, além de capacitações e treinamentos práticos.

Texto: Daniele Mendes de Melo/Fotos: Nathalia Lima