//Brasil antecipa imunização contra a gripe e Lages protege idosos e profissionais da saúde já a partir desta segunda-feira

Brasil antecipa imunização contra a gripe e Lages protege idosos e profissionais da saúde já a partir desta segunda-feira

Vacinadores irão se deslocar até a casa de pessoas acamadas acometidas por doenças, e à casa de idosos a partir de 80 anos de idade, por agendamento. Este serviço de imunização a domicílio será realizado a partir do dia 27 de março

Os brasileiros já estavam se programando para serem submetidos à vacinação contra a gripe Influenza, e o sinal de alerta vermelho se acentuou em razão do surgimento e transmissão do novo coronavírus, causador da doença Covid-19. A pandemia mundial e o começo da vigência do outono colocaram o país em vigília e em isolamento social por tempo indeterminado. É nas estações mais frias que os problemas respiratórios surgem ou são agravados. Este será o Movimento Vacina Brasil contra a Gripe 2020, com o conceito “Gripe. Tem que vacinar”, do Governo Federal.

A vacina, composta por vírus inativado, é trivalente e protege contra os três vírus que mais circularam no Hemisfério Sul em 2019: Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2). Além da vacina contra a gripe, há outras doses importantes no calendário vacinal, como a imunização contra o sarampo e a febre amarela.

O Ministério da Saúde (MS) adiantou a campanha nacional de abril para março, resguardando, antecipadamente, os grupos prioritários, aos vírus mais comuns da gripe. “A vacina contra Influenza não tem eficácia contra o coronavírus, porém, neste momento, irá auxiliar os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para coronavírus, já que os sintomas são parecidos. E, ainda, ajuda a reduzir a procura por serviços de saúde”, pontua o Ministério da Saúde.

A campanha de imunização contra a gripe em todo o território nacional iniciou nesta segunda-feira (23 de março) e em Lages as vacinas são aplicadas na Central de Vacinas, localizada na Vigilância Epidemiológica, centro da cidade, e nas Salas de Vacina de Unidades Básicas de Saúde (UBSs) nos bairros. É necessário apresentar Cartão SUS e carteira de vacinação.

Primeiramente está contemplado, pelo calendário, o grupo prioritário formado por idosos a partir dos 60 anos e profissionais da área da saúde, vacinados no período de 23 de março a 15 de abril. Conforme aponta o Ministério da Saúde, em Lages a meta será a imunização, nas três etapas, de 113.879 pessoas que fazem parte do total dos grupos prioritários da campanha. Em Santa Catarina, o público-alvo é de 2.271.314 pessoas.

No país, a meta é vacinar, pelo menos, 90% de cada um destes grupos, até o dia 22 de maio. Ao todo, 67,6 milhões de pessoas deverão ser vacinadas no Brasil nas três etapas. Para isto, foram adquiridas 75 milhões de doses da vacina, com investimentos federais de R$ 1 bilhão. Enfermeiros e técnicos de enfermagem estão à disposição para atender e explicar detalhes sobre a campanha e esclarecer dúvidas.

Vacinadores nas residências dos acamados e idosos a partir dos 80 anos

Em Lages, vacinadores irão se deslocar até a residência de pessoas acamadas acometidas por doenças e à casa de idosos a partir de 80 anos de idade, por agendamento. Profissionais da Vigilância Epidemiológica estão organizando a lista e aguardam o recebimento semanal de novas doses da vacina pelo município. Este serviço de imunização a domicílio será realizado a partir do dia 27 de março. “Lembramos aos pacientes trazerem Cartão SUS e a carteirinha de vacinação, e a sua máscara de proteção, uma barreira para as vias aéreas”, reforça a coordenadora de Imunização, Juliana Barbosa Vieira.

Estudos e dados apontam que casos mais graves de infecção por coronavírus têm sido registrados em pessoas acima de 60 anos, grupo que corresponde a 20,8 milhões de pessoas no Brasil, por isto optou-se pelo público idoso para iniciar a vacinação. “A comunidade está sendo assistida da melhor maneira e de modo eficiente. Nenhum de nós, incluindo Poder Público e sociedade em geral, pode ser relapso ou negligente em nossas atitudes diárias individuais ou coletivas, a fim de evitar o maior desencadeamento de todos estes vírus. Os decretos municipais e estaduais e medidas nacionais visam, sobretudo, blindar a população e tornar efetiva a estruturação, fiscalização e a repressão nesta pandemia do coronavírus. São momentos de sacrifício que salvam vidas e, apesar da gravidade, vamos lutar para superar e voltarmos a nossa normalidade. Fiquem em casa e somente saiam em caso de imunização ou de extrema necessidade”, recomenda o prefeito Antonio Ceron. No município, uma das responsáveis pelo trabalho é a diretora de Vigilância em Saúde é Regina de Souza Oliveira Martins.

Senhas para organizar o fluxo e cuidar das pessoas, e população consciente com máscaras desde casa

Métodos seguros foram adotados e postos em prática, como o distanciamento entre os pacientes à espera e a limitação de pessoas dentro dos ambientes para evitar aglomerações e ocasionar uma ampla ventilação. E é claro, se os cidadãos dispuserem de álcool gel na concentração de 70% em seu bolso, para desinfecção, melhor ainda.

Na Central de Vacinas, uma tenda na parte externa do prédio foi montada para receber as pessoas do grupo prioritário, com cadeiras higienizadas e distanciadas para melhor comodidade e preservação dos idosos. Em caso de fila, mantém-se distância de prudência de um metro entre as pessoas do lado de fora que aguardam o atendimento.

A entrada das pessoas no prédio da Central de Vacinas foi restrita e por processo de senhas. O público já está chegando com suas máscaras descartáveis, mostrando sua sensibilização e empatia. Na parte interna do edifício há três mesas para cadastros, com distância de dois metros entre cada uma. “O movimento está intenso desde cedo. A meta é vacinar 90% dos grupos considerados como prioridade pelo Ministério da Saúde. Nós contamos com a colaboração e paciência da comunidade. Tomamos todas as medidas de cautela com a saúde das pessoas e torcemos para que tudo transcorra normalmente”, reitera a gerente de Vigilância Epidemiológica, Sumaya Furtado Pucci. A Secretaria da Saúde sugere ainda que seja realizado um calendário por dia de vacinação, de acordo com a população de uma determinada microárea de cada Unidade Básica de Saúde.

Novos públicos em etapas subsequentes

A partir de 16 de abril o público-alvo será ampliado para professores (rede pública e privada), profissionais das forças de segurança e salvamento e pacientes com doenças crônicas não transmissíveis (hipertensão, diabetes, asma) e outras condições clínicas especiais. E a partir de 9 de maio serão crianças de seis meses a menores de seis anos (incompletos); pessoas entre 55 e 59 anos; gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional; pessoas com deficiência física, visual, auditiva, múltipla, intelectual e mental, e povos indígenas.

Prevenção na área rural

Na área rural de Lages, 21 localidades receberão equipe especial para sua imunização contra a gripe, ao longo de 22 dias de vacinação, no período compreendido de 25 de março e 1º de abril. Pessoas dos grupos prioritários deverão apresentar Cartão SUS e carteira de vacinação.

Mobilização nacional em 9 de maio

A campanha de vacinação contra a Influenza determina 9 de maio como o Dia D, quando Centrais de Vacinas e salas de vacinas em Unidades de Saúde deverão estar abertas entre 8h e 17h, a principio. Nesta data, os 41 mil postos de saúde ficarão abertos no Brasil inteiro para atender todos os grupos prioritários.

Os números Brasil afora

Em 2020, até a Semana Epidemiológica 11 (14 de março), foram registrados 165 casos e 13 óbitos por Influenza A (H1N1), 139 casos e 14 óbitos por Influenza B e 16 casos e dois óbitos por Influenza A (H3N2). No ano passado, o país registrou 5.800 casos e 1.122 óbitos pelos três tipos de Influenza.

Coronavírus: boa notícia na noite de domingo

Na noite deste domingo (22 de março), a população de Lages pôde ser inteirada de uma notícia que alivia a tensão, mas reforça a necessidade de se manter e intensificar os cuidados contra a propagação do coronavírus. Na noite de sábado (21), Lages contava com 11 casos suspeitos, sendo que no domingo este número baixou para quatro suspeitos devido ao descarte de seis casos por diagnóstico de exame pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/SC). Infelizmente houve confirmação de um caso no sábado à noite. Lages segue, portanto, com uma confirmação, quatro casos suspeitos e sete descartados.

As Secretarias Estaduais de Saúde registram 1.621 infectados em todos os Estados do Brasil. Estão contabilizadas 25 mortes no país, 22 delas no Estado de São Paulo. Em Santa Catarina são 68 casos confirmados de coronavírus e nenhum óbito.

Texto: Daniele Mendes de Melo