Ministério Público arquiva denúncia contra o Gabinete Móvel do vereador Lucas Neves

Seja lá quem quer que seja que teve a estupideza de acionar o Ministério Público para conter o trabalho do vereador Lucas Neves, PP, em seu  Gabinete Móvel. Certamente, depois, do fracasso rotundo que teve a Ação impetrada, o autor deve ter chegado à conclusão de que, “o tiro saiu pela culatra”, ou melhor ainda “a emenda saiu pior que o soneto”, como se anunciam ditos adágios populares. Se essa atitude, mesquinha e rasteira teve o intuito de coibir o ânimo do vereador pepista, com certeza caíram do cavalo. Este ou aquele que quis encurtar as rédeas de Lucas Neves, nessas alturas do campeonato não sabe onde colocar a cara. Aceite um conselho: coloque a cabeça no vaso e puxe a descarga.Esse ato infame, não tem qualificação. Aliás, isento de qualidades é quem teve a ideia mórbida de impetrar um recurso desses, pois o vereador Lucas Neves, foi o mais votado na história do Legislativo Lageano. É o único que pode dizer em alto e bom som que, não dependeu de ninguém para ser vereador. Ou melhor apenas do eleitor, ou melhor dos 6.192 eleitores que votaram e garantiram o coeficiente, sem depender de partidos.

Inveja

O vereador Lucas Neves, se quisesse, até poderia processar o autor da Ação impetrada contra ele. Até agora, apenas está feliz pela decisão do Ministério Público: “Nunca pensei que o fato de trabalhar e divulgar o meu mandato pudesse incomodar alguém. Mas pelo visto incomoda quem foi me denunciar na Justiça por causa do meu Gabinete Móvel e das postagens que faço nas redes sociais, com a descabida acusação que eu uso dinheiro público para custear as ações com a Kombi”, observou o edil Lucas Neves.

Arquivamento da Ação

Sobre a decisão do Ministério Público em arquivar a Ação, assim disse o vereador Lucas: “o que me tranquiliza é receber um Ofício do Ministério Público informando que a “denúncia” foi arquivada por não existir nenhuma ilegalidade no meu trabalho. Melhor ainda é ler o despacho do Promotor que diz: “as ações do vereador não aparentam estar contaminadas por dolo ou má fé. Pelo contrário, tudo indica que sua intenção é efetivamente ir ao encontro das comunidades e colher as informações para o exercício correto da vereança”, destacou Lucas Neves.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!

Deixe um comentário