//Acesso Norte em Lages é um perigo constante para ciclistas

Acesso Norte em Lages é um perigo constante para ciclistas

Não apenas para os amantes do esporte das duas rodas ou das bykes, como também até mesmo para condutores de veículos ou pedestres, aquele trecho de via pública representa um grande perigo à todos. Por ser uma via de chegada e saída de Lages, o movimento é constante, porém, o que agrava ainda mais o trafegar, é a falta de respeito de alguns motoristas para com os ciclistas. Aproveitam para “tirar um fino”, buzinam e sentem-se prazeirosos em jogar o ciclista para o mato, quando não provoca um acidente. É como diz o Cabo Dela Justina, ‘a bicicleta deve utilizar a faixa da pista destinada aos veículos, nos locais que não houver a ciclovia ou ciclofaixa, e de maneira alguma pedalar sob calçadas ou na contramão de direção, que se um ciclista se envolver em um acidente de trânsito e estiver na contramão, ele é responsável pelo acidente e será responsabilizado pelos danos. Ainda que todo ciclista deve utilizar obrigatoriamente, capacete, e também utilizar iluminação dianteira e traseira, para ver e ser visto. Quanto ao compartilhamento da pista de rolamento, o ciclista terá prioridades, onde os veículos maiores deverão reduzir a velocidade, e manter a distância mínima lateral de 1,5 metros ao ultrapassar o ciclista, e ainda mais importante é reduzir a velocidade ao visualizar uma bicicleta na rua, haja vista ser um veículo de equilíbrio e pouco previsível para os demais condutores, sendo que a inobservância destas medidas são cabíveis de autuações de infração de trânsito, média e grave, respectivamente”, observou o Cabo PM Dela Justina. O ciclista José Adenir Moraes diz que,”a avenida do Acesso Norte é muito estreita e não tem acostamento. Isso põe em risco qualquer ciclista que pedala naquele local. Uma ciclovia com sinalização tipo “olho de gato” já ajudaria muito”, frisa José Adenir. Por sua vez, Bruno Henrique Alves enfatiza que, “fora o iminente perigo no decorrer do trajeto, a última curva forte antes de iniciar a descida (sentido Estação), não proporciona visibilidade para que o motorista tenha tempo hábil de desviar do ciclista. E por isso, ao notar o ciclista, enquanto efetua a curva por reflexo, joga o veículo para a faixa contrária, quase causando colisões frontais. Importante destacar que, a falta de ciclovia não apenas gera riscos ao ciclista, más também aos motoristas que por ali transitam” observou Bruno Henrique Alves.

Motoristas provocam sustos aos ciclistas

Na verdade, as autoridades de trânsito devem tomar medidas urgentes para evitar acidentes de grandes proporções. Afinal de contas, o perigo é visível aos olhos de qualquer pessoa. Acontece que, certa vez aquele velho ditado acaba sendo novo: “o pior cego é aquele que vê e não quer enxergar”. Portanto, competentes autoridades façam as suas partes. Se existe uma via pública, com certeza deve ser preservada a integridade física e material de quem trafega por ela. E como diz Aldroivando S. de Oliveira,“tendo em vista o perigo eminente aos ciclistas, é necessário a construção urgente da ciclovia”. Da mesma forma observa a ciclista do Grupo “Papa Léguas, Kátia R. Ribeiro, “transito muito por está Avenida, e levei vários sustos, de carros fazendo ultrapassagens e me jogando pra o acostamento. Um perigo pra nós ciclistas”. O que também concorda Sachas Camargo: ”Essa ciclovia no acesso Norte dará a nós ciclistas uma grande segurança em relação ao trânsito, pois hoje não temos o acostamento na via. Nas ciclovias existentes seria interessante existir uma agenda de limpeza e manutenção da sinalização. Finalizando disse Rafael Dela Justina: “Sou ciclista amador há aproximadamente 10 anos, e Lages não dispõe de ciclovias pensadas na segurança e no incentivo ao uso da bicicleta, nossos trajetos normalmente são de estradas de chão e o ponto mais crítico que temos em Lages, é o Acesso Norte, via estreita e sem acostamento e alto fluxo de veículos, e ainda convivemos com o desrespeito de alguns motoristas, sem uma infra- estrutura a vida saudável corre perigo”, concluiu o ciclista.