André Motta defende tratamento precoce da Covid-19

Atendendo convite do Conselho de Turismo da Serra Catarinense – Conserra, o Secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro participou de reunião por videoconferência na tarde desta terça-feira (04), onde defendeu o tratamento precoce contra Covid-19. Mas, desde que se respeite a orientação médica.

Prefeitos da região e representantes do Consórcio de Saúde da Amures, Associação Comercial e Industrial de Lages – Acil, Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL, deputada federal Carmen Zanotto, deputado estadual Neodi Sareta, coordenadora da Comissão Intergestora Regional de Saúde – CIR Terezinha Branco e secretários municipais de Saúde interagiram com o Secretário de Estado com perguntas.

André Motta disse que a palavra de ordem é campanha educativa, entrada qualificada e monitoramento de paciente na rede e testagem das populações de risco. E colocou como inaceitável que em Santa Catarina, a taxa de isolamento social esteja entre 37¨e 40%. “Essa taxa não tem impacto nenhum no controle do vírus. Defendo campanhas educativas mais agressivas”.

Ao frisar que as pessoas devem ficar em casa, desde que não tenham sintomas, ele recomendou: “Mas se tiver sintomas, tem de ser abordadas precocemente, conforme atribuição do médico. A nota técnica número 13, da Secretaria de Estado da Saúde defende a liberdade do médico e do paciente no tratamento”.

Mais 28 leitos de UTI semana que vêm

O presidente do Conserra, empresário Eliseu Farais agradeceu ao secretário André Motta por ter atendido o convite e reiterou a necessidade de conclusão e operação da nova ala do Hospital Tereza Ramos. Sobre esse ponto, André Motta disse que semana que vem, a nova UTI estará funcionando com 28 leitos para Covid-19.

O prefeito de Lages Antônio Ceron representou os prefeitos da Amures e perguntou sobre o transporte intermunicipal, interestadual para que haja um sincronismo com mesmas normas pelo Estado. André Motta admite haver uma crise de governança, além da crise da Covid-19 e se colocou à disposição para tratar do assunto.

“Esse é um momento ideal para evoluirmos em outras estratégias para se conseguir de fato diminuir o impacto da velocidade do vírus no Estado”, citou. A prefeita de Vargem e presidente do CIS-Amures, Milena Lopes indagou sobre ações do Estado para evitar que os pacientes cheguem as UTI`s.

André Motta disse que na quinta-feira dessa semana, chega um carregamento de medicamentos do Uruguai para ser distribuído aos municípios. E que não pode mais o paciente chegar na porta da emergência e voltar para casa sem tratamento e monitoramento.

“Tem de funcionar de fato a rede de urgência e emergência, com referência e contra referência”, declarou lembrando que está buscando parceria com o setor privado produtivo para avançar na testagem de funcionários e colaboradores para um melhor controle da doença.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!