Elizeu Mattos desabafa. “Estou em paz com minha consciência”

O ex prefeito de Lages foi condenado a 32 anos de prisão, segundo ele, através de suposições, sem nenhuma prova consistente.

Na manhã desta quinta-feira, dia 10/09, o ex-prefeito Elizeu Mattos concedeu uma entrevista na famosa Rádio Clube de Lages, conduzida pelo competente radialista Daniel Gouarte. Na oportunidade, disse que já estava com saudades de ter um contato com a comunidade. Sobre as acusações  de que lhe foi imputada, resultando numa condenação até exagerada, num processo iniciado em 2014, e agora anulada pelo Supremo Tribunal Federal, é claro que, ele tem mais é que se defender, o que é um instinto do ser humano. Em nenhum momento vai querer ser réu confesso. Nesse afã de mostrar sua inocência, Elizeu Mattos, em primeiro momento disse que, o principal motivo de estar incurso no processo que envolvia uma empresa prestadora de serviços de saneamento  básico, não corresponde com a verdade, as acusações. Até porque, as investigações  levadas a efeito naquela época, não encontraram elementos convincentes para incriminá-lo, como está na folha 1.015 do Processo onde diz que: “depois de um monitoramento e demais investigações levadas a efeito por mais de 15 semanas não foram encontrados os elementos concretos que corroborassem com  a eventual participação do prefeito de Lages em supostas participações de irregularidades envolvendo licitações públicas.  Esse foi um relatório apresentado pelo Tribunal de Justiça/SC na devolução do processo para a Comarca de Lages. O próprio Gaeco, diz Elizeu,  reconhece que, em nenhum momento houve interferência do prefeito, mesmo depois de fazerem interceptações durante 15 semanas. Não existe nenhuma gravação que eu fale de dinheiro, de propina ou de negociação com a suposta empresa. Nunca encontraram uma gravação onde a minha voz pedia para fazer coisas ilícitas. Fizeram quatro meses de gravações de dentro do carro oficial do prefeito e nunca encontraram nada. Não teve testemunhas, nem documentos ou depósitos em dinheiro que viessem a comprometer-me. Como vai condenar alguém por suposições. Condenar uma pessoa a 32 anos de prisão sem provas nenhuma, é algo inconcebível. Durante minha vida não comprei imóveis, não tive fazendas ou carros do ano. Ando com um carro do ano de 2010, com milhares de quilômetros, adquirido parceladamente de um financiamento que terminei de pagar em 2014. Eu vendi um terreno que ganhei de herança dos meus pais na costa do rio Canoas. Se tivesse ganho propinas eu não estaria vendendo bens. Estaria comprando. Quero provas, e não suposições”, observa Elizeu Mattos.

Propinas: tudo suposições

Indagado se foi alvo de uma trama política para desarticular politicamente o prefeito de Lages na época,  Elizeu respondeu o seguinte: “eu aprendi muito durante esse período que fiquei afastado. Tem uma distância muito grande entre o achar e o ser. Eu sou vítima. Não sei de quê, mais sou vítima.o estranho é que, não levaram em considerações os resultados das investigações para proferir uma sentença.  No processo só teve um lado,o da acusação.  Há duas investigações.Não estou sendo acusado por roubo ou desvio de dinheiro público, Tudo são suposições de haver recebido propinas da empresa contratada para prestar serviço na Semasa.  E tem mais, n uma investigação do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina, ficou comprovado que não comprovado ter encontrado as pratica de super faturamento e inexistência de pagamentos irregulares por serviços realizados. O TC/SC aprovou todas as minhas contas.  Não houve qualquer fato ilícito”, demonstra Elizeu Mattos.

Mentiras atrás das outras

Sobre o recebimento de propinas, Elizeu Mattos disse o seguinte: “sobre o tal de Arnaldo da Viaplan, nada tínhamos de afinidade. Nunca fiz ligação telefônica a nenhum empresário. Na verdade não aceitaram uma instrução processual para apurar as verdades. Não existe qualquer fato de ilicitude ou de ilegalidade conforme comprova as gravações.  A respeito das delações premiadas prestadas por um representante da Viaplan sobre possíveis entregas de dinheiro mensalmente, o  ex prefeito disse que: “Foram feitas duas delações. Mentira atrás da outra. Não vieram acompanhadas de provas. Esse cidadão prestou três depoimentos. Em cada um disse uma coisa. A mesma pessoa que delatou mudou o seu depoimento várias vezes. Eu nunca tive contato com o tal de Arnaldo, o qual disse ter pago 1,5 milhão  e meio de reais para tirar o filho dele da cadeia.  Eu nunca fui na sede da Viaplan. Apenas sei que é uma empresa grande a nível de Brasil.E quanto ao depoimento do filho do Arnaldo, não levaram em consideração  a sua versão. Nem o depoimento da tesoureira da Viaplan.  Nem sequer levaram em consideração a Planilha das delações, pois não confirma nada. As acusações contra a Semasa nada tem a ver. Foi comprovada pelo Ministério Público de que a Planilha não tem veracidade. Está no processo! Uma indagação: como uma empresa vai dar R$ 165 mil reais de propina se o lucro dela não chega a R$ 80 mil reais? A empresa tinha um processo de faturamento de  R$ 850 mil reais/mês. É muita invenção. Porque não investigaram a empresa em Curitiba?

A tal Mala de Dinheiro

 Na parte final da entrevista o repórter indaga sobre o suposto envolvimento do  motorista “Toninho”. Inclusive com a GDO Produções sobre a Festa Nacional do Pinhão, onde o servidor comissionado tinha força em contratações e vetos em algumas outras situações. O ex prefeito Elizeu Mattos, informou o seguinte: “quero me ater apenas sobre o que está dentro do processo. Quanto ao procedimento do servidor público em sua casa ou na sua vida privada não faz sentido a mim dar ordens ou palpites. “O Toninho nem sabe o que é Licitação e não entende nada sobre isso. Fato que já foi discutido dentro do processo”, observa Elizeu. O repórter pergunta: queremos saber sobre a Mal de Dinheiro que foi encontrada pelos Agentes da Gaeco em frente ao Apart Hotel em novembro de 2014, onde presente estavam Arnaldo e seu filho. Naquele dia, depois de ter chegado de viagem e ter lhe deixado em sua casa foi ao hotel já citado no bairro Conta Dinheiro. Julian pega um bolsa e coloca dentro do carro oficial da prefeito. Naquele momento o Gaeco faz a prisão em flagrante e encontra um valor de R$ 165 mil reais. Como foi aquele dia para o prefeito? Elizeu disse: “Estavam em Florianópolis. Ao retornar para Lages, Toninho me deixou em casa e disse que ia para a sua. Quero falar sobre a Mala. Primeiro, não faz parte do meu processo. Eu não estava lá. A Mala nunca esteve comigo. Entretanto, eu fui condenado por ações cometidas por terceiros. Deixo claro que: se existiu a tal da Mala, não é fruto da Semasa. Já foi provado de que o dinheiro não era pra mim. Há diversas versões. Nada que corresponde à verdade”, disse Elizeu Mattos.

Ficou mais pobre

Prosseguiu Elizeu nas suas informações: “Depois de preso mudaram tudo. Ou seja, a mala era para o Elizeu. Nela, fiquei sabendo que tinha vários envelopes.  O dinheiro, com tal, estava em vários desses envelopes.  Para justificar, disseram que fizeram várias retiradas em diversos bancos. A mentira tem perna curta. Numa parte do processo dizem que houveram duas retiradas. Numa outra é de que aconteceram várias retiradas em bancos. Ou seja, muitas mentiras levadas em consideração. Essa mala, não era para ninguém de Lages. É muito estranho. Primeiro,me condenaram afirmando que eu recebia uma mala mensalmente, o que daria mais de 2 milhões de reais no total. Eu fui seguido durante 9i meses, então respondam: alguém me viu chegar com alguma mala em casa? Ou alguém  interceptou alguma conversa telefônica minha onde eu pedia propina? Nunca!  Será que alguém viu algum depósito em minhas contas? Não tive aumento de bens. Pelo contrário diminuíram. Eu não tenho sitio. Não tenho uma vaca pra tirar leite.  Moro desde 2004 na mesma casa. O meu carro foi comprado em 2010 quando eu era deputado. Não tem como fazer uma ligação da Mala com a minha pessoa. É pura invenção. Eu tenho compromisso com a verdade. Isso temos que preservar. Para incriminar alguém tem que se ter provas”, frisou o ex prefeito de Lages.

O sonho de transformações

Para finalizar o ex prefeito fala da sua vida hoje. Principalmente agora que é viúvo. Elizeu, emocionado respondeu: “Reviraram a minha vida. Estava muito cômodo ser deputado. Vim a Lages para ser prefeito. Fui um parlamentar atuante, líder do Governo. Queria transformações em Lages. Era um sonho que acalentava. Como  prefeito trabalhava muito. Não tinha nem final de semana. Meus filhos ficaram órfãos de mãe. Por pouco não ficaram órfãos de pai. Na época de prefeito tudo estava funcionando. Aeroporto, shopping, Brilho de Natal, Saúde, Educação, etc. Era apaixonado pelo que fazia. Eu não vim aqui para fazer besteira, deixando a Assembléia Legislativa onde estava bem. Eu queria fazer a transformação. Resolvi um problema de décadas que era a falta de água na cidade. Iniciamos o maior projeto de saneamento básico de Lages. Não fiz nada de errado. Tenho uma tristeza que não deixaram  a gente fazer o que estava sendo feito com muito trabalho e competência. Fizemos a maior compra de máquinas da história de Lages. Da revitalização da Rua Duque de Caxias,  Administrávamos para os pobres, que são os que mais necessitam de uma boa administração. Nós fizemos isso. Paguei um preço. Vivo porque estou em paz com a minha consciência”, assim concluiu emocionado Elizeu Mattos.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!