Coronavírus: Serra Catarinense questiona critérios adotados pelo Estado na Matriz de Risco Potencial da Covid-19

O Centro de Operações de Emergência em Saúde da Serra Catarinense encaminhou o documento ao COES-SC solicitando esclarecimentos. Mesmo com queda na ocupação de leitos Covid (Enfermaria e UTI) e diminuição dos casos ativos, a classificação da região não foi atualizada

Nas últimas semanas Lages, assim como a Serra Catarinense, tem registrado melhora gradativa no cenário da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). O número de casos ativos nesta quarta-feira(16 de setembro) em Lages, era de 114, o que representa uma redução de 75% em relação ao mesmo período do mês de agosto, quando a cidade registrava 446 casos ativos da doença.

A taxa de ocupação de Leitos UTI Covid, que em agosto chegou à angustiante marca de 90%, vem caindo progressivamente e despencou para 37% nesta quarta-feira (16). A procura por atendimento no Centro de Triagem da Covid-19, localizado no Centro de Lages,apresentou uma redução de quase 50% desde o início da pandemia. A letalidade da região por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) também se encontra em níveis de estagnação, com frequentes picos de declínio.

Mesmo com esses dadosque comprovam desaceleração na curva de contágio da Covid-19 na região, o Governo do Estado manteve a Serra Catarinense na fase Laranja, de lockdown parcial (nível 4). Por conta disso, o COES Regional Serra Catarinense Covid-19 encaminhou um documento ao Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES-SC), solicitando esclarecimentos dos critérios considerados para mensurar a classificação do risco potencial regional.

O Coordenador do COES Regional Serra Catarinense COVID-19, Claiton Camargo de Souza, explica que no entendimento do órgão, a região deveriaestar classificada como bandeira Amarela, de Risco Baixo. “Não entendemos esse apontamento. Estamos acompanhando a diminuição no número de casos confirmados, e consequentemente dos casos monitorados. Ampliamos a testagem para todos os pacientes, até para casos leves (pouca suspeita) da doença. A ocupação dos leitos UTI Covid está diminuindo consideravelmente. Por isso, a região considera que o mapa de avaliação de risco potencial precisa ser reavaliado”.

Simultaneamente a esse documento assinado pelo COES Regional, o Município também confeccionou o ofício nº 387/2020, assinado pelo Chefe do Executivo, solicitando informações de como acontece, na prática, a computação de dados da ferramenta da Avaliação de Risco Potencial.

Os COES Regional Serra Catarinense COVID-19 entende que os números atuais são reflexo das medidas adotadas com firmeza na região, pelas autoridades de saúde que uniram esforços no enfrentamento da pandemia, somada à colaboração da população que vem atendendo as determinações e recomendações dos órgãos de saúde.

Texto: Flávio Fernandes/Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Secom

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!