Lages completa uma semana sem registro de óbitos por Covid-19 e Serra Catarinense mantém questionamentos dos critérios adotados pelo Estado na Matriz de Risco Potencial

Mesmo após questionamentos do Centro de Operações de Emergência em Saúde da Serra Catarinense, o Governo do Estado insiste em não migrar a região da fase Laranja para Amarela na Matriz de Risco Potencial da Covid-19

Lages chegou na quinta-feira (24 de setembro) à marca de uma semana sem registro de óbitos decorrentes da Covid-19. O número de pacientes recuperados já passa de 3 mil, conforme a mais recente atualização divulgada pela Secretaria Municipal da Saúde às 19h30min de ontem.

Em comparação com a semana anterior, houve ainda diminuição de 14% nos casos ativos no município e de 13,7% do número de pacientes em isolamento domiciliar. Por conta desses dados que comprovam a desaceleração na curva de contágio da Covid-19 na região, o COES Regional Serra Catarinense Covid-19 vem cobrando do Governo do Estado uma reavaliação dos critérios considerados para mensurar a classificação do risco potencial, e os motivos de a região não migrar da fase Laranja para a Amarela, que indica Risco Baixo.

Na quinta-feira (24) o Governo do Estado divulgou a mais recente Matriz de Risco Potencial de cada região, e mesmo diante das reivindicações, a Serra Catarinense permanece na fase Laranja. O Coordenador do COES Regional Serra Catarinense COVID-19, Claiton Camargo de Souza, explica que o órgão vai continuar cobrando esclarecimentos. “Nossa expectativa era que o Estado atualizasse agora, nesta semana a classificação regional para a bandeira Amarela. A partir daí os gestores municipais poderiam já estar planejando ações de flexibilização e possível retomada gradativa de serviços e atendimentos públicos e privados. Estamos cientes que tivemos uma melhora no cenário, mas ainda não vencemos essa batalha contra a Covid-19”, acrescenta.

Um ofício foi enviado ao Governo do Estado solicitando que ao menos um representante do COES-SC participe de uma sessão ordinária on-line do COES Serra Catarinense, que acontecerá na sexta-feira (25), para prestar esclarecimentos. “Queremos analisar em conjunto com o Estado como acontece, na prática, a computação de dados da ferramenta da Avaliação de Risco Potencial para obter de forma clara as informações que excluam qualquer subjetividade e ruído no entendimento do COES regional.

A taxa de ocupação de Leitos UTI Covid, que em agosto alcançou um patamar de 90%, vem caindo progressivamente e despencou para 28% na quarta-feira (23). A procura por atendimento no Centro de Triagem da Covid-19, localizado no Centro de Lages, apresentou uma redução de quase 50% desde o início da pandemia. A letalidade da região por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) também se encontra em níveis de estagnação, com frequentes picos de declínio. “Por isso, a região considera que o mapa de avaliação de risco potencial dever ser reavaliado. A informação extraoficial que temos é que na próxima semana o Governo do Estado deverá mudar a matriz de cálculo e esperamos que aí a região migre para a fase Amarela” acrescenta Claiton.

População não deve relaxar medidas de prevenção

O COES Regional Serra Catarinense COVID-19 entende que os números atuais são reflexos das medidas adotadas pelas autoridades de saúde que uniram esforços no enfrentamento da pandemia, somada à colaboração da população quanto as medidas de prevenção da doença.

Importante ressaltar que a luta contra a Covid-19 não cessou e a sociedade deve continuar fazendo a sua parte, observando as determinações e recomendações dos órgãos de saúde. Mesmo com a leve melhora no cenário da pandemia, cabe ressaltar que a região serrana acumula, até a quinta-feira (24), 102 óbitos desde o início da pandemia.

Texto e Foto: Flávio Fernandes

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!