R$ 107 mil para gastar em brindes na divulgação de campanha de vacinação

É isso mesmo leitor. Ou a Prefeitura Municipal de São Joaquim devolve ou gasta a verba. Diante dessa hipótese, o que vai fazer o prefeito joaquinense? Essa é  a situação  diante de uma lei federal que obriga a quem receber recursos financeiros. Ou gaste, comprovadamente, ou devolva o dinheiro para a origem. No caso, ao Ministério da Saúde. Em qualquer hipótese, bom mesmo é divulgar em todos os quadrantes do País. Ou seja, denunciar com veemência ao Ministério Público Federal, ao Tribunal de Contas da União e, claro, às redes de Rádio e TV. Como dizia o  outro: “Chamem o Fantástico!”.

Leitor amigo, sabe para que finalidade é essa verba?

Para fazer aquisição de quinquilharias para divulgar campanhas de vacinação no município de São Joaquim. Esse recurso financeiro é oriundo do Ministério de Saúde, e só deve ser gasto com essa finalidade: comprar 1.800 camisetas, bonés e chaveiros. Esse  é mais um absurdo que o povo deve saber.Na caserna o recruta aprende que: “ordem errada não se executa”. Bem que poderia ser utilizada em qualquer lugar. Na verdade, seria melhor devolver ao Ministério da Saúde, e fazer um estardalhaço a nível nacional. “Isso é uma vergonha”, como já dizia aquele apresentador na TV.Já pensou se a moda pega? Será que todos os mais de 5.500 municípios brasileiros também receberam essa verba para gastar em compras de camisetas, bonés e chaveiros? É um rombo maior que uma cratera de vulcão. Na verdade, essas e outras ações, são o que fazem os engravatados que trabalham com ar condicionado, cafezinho e belas secretárias em Brasília num ministério qualquer, principalmente no Ministério da Saúde. Enquanto isso, hospitais estão fechando por falta de recursos financeiros. Aqui na região  serrana são vários.  A situação do prefeito joaquinense é complicada. “Se corre o bicho pega; se para, o bicho come”. É um abacaxi muito grande para descascar.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!

Deixe um comentário