Coligação Lages em Boas Mãos: Ceron garante a permanência da Secretaria da mulher e irá criar o aluguel social

Os Candidatos a prefeito Antônio Ceron e a vice Juliano Polese, participaram de uma reunião virtual na noite de ontem (09/10). O evento foi promovido pelo Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (CMDM) de Lages.

Em pauta, o Conselho entregou uma carta de compromisso aos candidatos. Durante a reunião foram debatidos assuntos referentes aos avanços que a cidade já enfrentou nas políticas públicas da mulher, e os novos projetos que já fazem parte do plano de governo da Coligação Lages em Boas Mãos.

Antônio Ceron ficou emocionado ao relatar alguns acontecimentos que vivenciou na secretaria que criou em sua gestão a Secretaria de Políticas para a Mulher, e garantiu que os direitos precisam ser ampliados, assegurados e jamais retrocedidos. “A Mulher é o alicerce da família e da sociedade, na minha gestão criei a Secretaria de Políticas para a Mulher, e os índices caíram durante os últimos anos, mas precisamos continuar avançando. Acredito que os ensinamentos também vêm da base na educação, e as secretarias de educação trabalham e irão trabalhar alinhada com a Secretaria da mulher”.

Juliano Polese lembrou que mais de 50% dos colaboradores da prefeitura são conduzidas por mulheres. “A Secretaria da Mulher dispõe de um espaço de escuta qualificada, com atendimento psicossocial e jurídico às mulheres, suas famílias e também ao autor da agressão. O trabalho tem como princípio a garantia do sigilo e o respeito às pessoas envolvidas”.

ALUGUEL SOCIAL E CONCURSO PÚBLICO

Ceron foi além da Carta entregue pelo Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, e acrescentou o ALUGUEL SOCIAL E O CONCURSO PÚBLICO com pessoas capacitadas para trabalhar na secretaria. “Quero acrescentar a carta de compromisso dois itens, o aluguel social que iremos criar para ajudar as mulheres na nova fase de suas vidas, e o concurso público com pessoas capacitadas e permanentes na pasta que estarão mais envolvidas e preparadas”.

Juliano ainda salientou que a Secretaria de Políticas para a Mulher, também mantém a Casa de Apoio à Mulher Vítima de Violência – Rosalina Maria Rodrigues que consiste num serviço de acolhimento de mulheres (acompanhadas ou não, de seus filhos/as, menores de18 anos) em situação de risco de morte e outras situações em que a mulher não tenha meios para retornar ao seu domicílio ou de permanecer junto à familiares. “A casa de apoio à mulher atendeu desde março de 2017 até setembro desse ano cerca de 794 mulheres e somente agora temos 84 mulheres sendo acompanhadas, é impossível ficar alheio a esses números, vamos continuar trabalhando e avançando, lembrando que é um trabalho sigiloso para não colocar em risco as mulheres e seus filhos’, finaliza Juliano.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!