Deputado Marcius Machado vota pelo prosseguimento do segundo processo de impeachment contra governador

O deputado Marcius Machado (PL) votou a favor do relatório apresentado pelo deputado Valdir Cobalchini (MDB), encarregado de analisar o segundo pedido de impeachment em tramitação na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc).

Os deputados da Comissão Especial votaram a favor do prosseguimento da ação contra o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) e pela retirada dos autos da vice-governadora Daniela Reinehr (sem partido), na manhã desta terça-feira (13). O relatório segue para votação em plenário e em seguida, será criada a Comissão Mista para análise do processo.

Os três principais pontos do impeachment foram os R$ 33 milhões para a compra de 200 respiradores, algumas informações falsas na CPI dos respiradores e todo o procedimento para a compra de um hospital de campanha em Itajaí.

“Sobre os R$ 33 milhões o governo foi omisso. Ele apresentou no pós pagamento um projeto de lei para antecipar pagamento. O valor é muito alto e os respiradores, que poderiam salvar milhares de vidas, não foram recebidos” explicou o deputado Marcius Machado, para justificar seu voto.

“Segundo ponto algumas questões que entraram em choque na CPI dos respiradores e a documentação apresentada, também mostrando incongruências no processo. E o terceiro ponto, sobre o hospital de campanha Mahatma Gandhi, em Itajaí, orçado em R$ 73 milhões e aberto um crédito suplementar de R$ 100 milhões, tudo foi muito rápido, de um dia para o outro, e apenas algumas horas para tramitar todos os procedimentos. Valores ínfimos de uma empresa para outra e aí traz um prejuízo muito grande”, acrescentou.

Sobre o seu voto, Marcius Machado explicou que optou pelo prosseguimento para o processo por crime de responsabilidade do governador e pela retirada da vice-governadora, já que a mesma apresentou muitos documentos informando ao governador do Estado, Tribunal de Contas e Ministério Público, tentando evitar que milhares e milhares de pessoas e o Estado de Santa Catarina fossem prejudicados, como acabaram sendo.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!