A experimentação como forma de encontrar soluções para problemas do dia a dia

 
No espaço maker, crianças e adolescentes têm oportunidade de inovar, experimentar, criar e fazer tudo com as próprias mãos.
 
O professor João Francisco Frank Gil é um apaixonado por tecnologia e inovação. Fica horas imerso num processo criativo no laboratório de Tecnologia e Robótica do Espaço Maker, localizado no Serviço Social da Indústria (Sesi), em Lages, onde trabalha como instrutor. Crianças e adolescentes entre sete e 17 anos podem ter experiências nesta e na área de Comunicação e Mídia em cursos de 80h de duração com atividades desenvolvidas no contraturno escolar. As inscrições estão abertas, as vagas são limitadas e as aulas iniciam em março.
 
Aprender robótica fazendo
No espaço de Tecnologia e Robótica, entre diversos equipamentos, uma impressora 3D está disponível para crianças e adolescentes criarem um mundo com suas próprias mãos. A ideia é instigar os estudantes a identificar problemas do cotidiano e, por meio de experimentos, pesquisar, explorar e construir de maneira colaborativa uma solução criativa e inovadora para melhorar a vida das pessoas.  
“Essa metodologia é uma revolução na educação. No período que estão aqui eles desenvolvem suas habilidades e aprendem brincando e fazendo com as próprias mãos”, conta o instrutor João. 
No laboratório, utilizando peças Lego constroem um robô capaz de realizar inúmeras tarefas, desde as mais simples, como jogar bola, até as mais complexas, como desenvolver uma cancela com sensores utilizando uma placa eletrônica baseada em tecnologia hasperry pi. Nesta fase, as crianças desenvolvem, aprendem a lógica da programação e exploram as possibilidades como desejarem. 
Por meio da programação com o Scratchuma linguagem de programação gráfica desenvolvida especialmente para crianças, os pequenos programadores criam animações, histórias interativas ou jogos.
 
Luz, câmera, ação
As crianças da geração Z nasceram em meio à tecnologia. Usam os aparelhos eletrônicos e os recursos oferecidos pela internet com muita naturalidade. A ideia de trazê-las para um laboratório de Educação Maker é mostrar a elas como tudo isso é desenvolvido, funciona e de que forma elas podem fazer parte colocando a mão na massa. 
No espaço de Comunicação e Mídias utilizando materiais, como máquina fotográfica, microfone, refletor, materiais de escritório, fantasias, livro, filmes e programas de edição, os alunos criarão seus roteiros e serão protagonistas de suas próprias histórias. 
Jornalista e instrutora do laboratório, Andressa Ramos explica que as crianças e adolescentes podem chegar com uma ideia e terão ajuda para desenvolvê-la ou poderão criá-la durante o curso. “Além de executar a própria ideia, nós vamos mostrar outros caminhos dentro desse espaço para que o estudante tenha uma base sólida para desenvolver seus projetos fora daqui”.
 
Matrículas abertas e vagas limitadas
As matrículas já estão abertas e as vagas são limitadas. Os interessados devem procurar uma unidade do Sesi em Lages.

Texto e fotos: Catarinas/Para Noticia no Ato

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!

Deixe um comentário