Percentual de óbitos dobra em uma semana e taxa de letalidade está em 1,96%

Depois de várias semanas em estabilidade, a Serra Catarinense volta à registrar aumento de números de vítimas fatais do novo Coronavírus. O relatório finalizado às 16h desta quarta-feira (21) pelo setor de Comunicação da Amures, aponta que esta alteração significa relaxamento com as medidas de segurança e prevenção a doença. O que resultou na mudança do quadro a nível estadual e elevou a região ao Risco Potencial Grave.

Nos últimos sete dias, a elevação percentual saltou de 2,67% para 4,34%, totalizando 120 óbitos em toda a região. Seguido de um aumento de 3,80% nos casos positivados, ultrapassando a marca de 6.114. As recuperações cresceram 1,94%, em relação à última semana e alcançou 5.701 pessoas. Essa marca pode ser considerada positiva, já que representa 93,24% dos pacientes
A estabilidade de alguns municípios registrada no último mês, aponta para um aumento significativo. Em três semanas, Ponte Alta que havia confirmado apenas um novo caso, saltou para cinco novos casos num período de sete dias. Em números totais está com 145 confirmações. Urupema que chegou a ser o último município do estado com positivação e passar quase dois meses estável, registra três novos casos em uma semana, totalizando cinco infectados.
Lages segue liderando com o maior número em toda a região com 3.481 casos. E sozinha corresponde a 56,93% de todos os casos registrados, quando comparada com os demais 17 municípios que são abrangidas pela Amures.
Esses aumentos, seguido do fechamento de seis leitos de terapia Intensiva – UTI destinado ao tratamento da Covid-19, no Hospital Tereza Ramos, pode ter contribuído para a elevação do nível regional. Segundo o portal do Governo do Estado, no Risco Potencial Grave são consideradas prioridades o monitoramento e a preocupação com a transmissibilidade. Com essa ação, medidas restritivas ainda podem ser tomadas a nível estadual e municipais. Como a suspensão da retomada das aulas presenciais na rede estadual de ensino.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!