Retirada de um servidor da rede gerou sobrecarga e lentidão no e-Título, diz o Tribunal Superior Eleitoral

O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Luís Roberto Barroso, informou, na tarde deste domingo (15), que a retirada da rede, em caráter preventivo, de um dos dois servidores da Justiça Eleitoral provocou sobrecarga e, consequentemente, dificuldades de acesso para o eleitor que tentou justificar ausência no pleito por meio do aplicativo e-Título.

De acordo com o ministro, a retirada da rede de um dos servidores foi feita preventivamente em razão do ataque hacker ao sistema do STJ ( Superior Tribunal de Justiça) no dia 3 deste mês.

Desde a manhã deste domingo, eleitores relatavam dificuldades para fazer a justificativa por meio do aplicativo. Segundo Barroso, foram baixados 13 milhões de e-Títulos, dos quais 3 milhões somente neste fim de semana. Mais de 560 mil eleitores já justificaram a ausência por meio do aplicativo.

“Depois dos ataques aos servidores do STJ, reforçamos a segurança dos nossos sistemas. Tiramos um servidor da rede e fizemos um backup. Assim, teríamos um servidor fora do sistema. Com esse servidor desligado, o servidor remanescente sofreu uma sobrecarga. E afetou o desempenho ótimo do e-Titulo. Essa é uma das explicações”, declarou Barroso durante entrevista coletiva no TSE.

Segundo ele, “o sistema está funcionando, apenas não está dando vazão a toda a demanda”. “A principal funcionalidade, que é a identificação do eleitor, funcionou perfeitamente. Mas houve instabilidade sobre local de votação e justificativa de quem esteja fora do seu local de votação”, declarou.

Tentativa de ataque

Barroso afirmou que, neste domingo, houve uma tentativa de ataque ao sistema do TSE. Segundo ele, a tentativa foi “totalmente neutralizada” pelo tribunal e pelas operadoras de telefonia.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!