Está chegando perto: primeira chapa da Berneck produzida em Lages deverá ser fabricada no final de outubro de 2021

Montagem da fábrica da Berneck em Lages deve começar em janeiro de 2021 e obras civis devem seguir até o próximo mês de julho

O imenso parque de obras da unidade fabril da empresa Berneck, à margem da rodovia BR-116, próximo ao limite entre Lages e Capão Alto, está em constante movimentação de máquinas e operários das empreiteiras contratadas para uma série de trabalhos no canteiro. As empresas de montagem já foram contratadas para o início do trabalho, previsto para janeiro de 2021. As obras civis seguem em ritmo acelerado e devem ser concluídas até julho do próximo ano, conforme as informações do diretor industrial, Daniel Berneck. “Iniciaremos os trabalhos de montagem pelo pátio de cavacos.  A caldeira também está em fase final de montagem.  Demais áreas devem ser iniciadas já no primeiro trimestre do próximo ano”, complementa Daniel Berneck, acrescentando, ainda: “Estamos trabalhando na montagem da caldeira, obra civil e terraplenagem”.

As obras da Berneck em Lages estão com aproximadamente de 40% a 50% do projeto concluído.  “Entraremos na fase de montagem a partir de janeiro, que precisa ter continuidade”, avisa Daniel Berneck. A primeira chapa da Berneck de Lages deverá ser produzida no final de outubro de 2021.

Atualmente estão em atuação no canteiro de obras as empresas GM (montagem da caldeira), Viero (empresa de construção civil), Dalba (empresa de terraplenagem), eventualmente alguns subcontratados destas empresas para serviços pontuais e um pequeno efetivo da Berneck na coordenação dos serviços. Em torno de 400 pessoas trabalham no canteiro de obras nos dias atuais, mas este número é variável. “Estamos seguindo todos os protocolos de segurança em relação à pandemia do novo Coronavírus”, lembra Daniel Berneck.  

Quanto às interferências da pandemia no cronograma e no andamento das tarefas, houve consequências no período entre os meses de março e junho. “Fomos negativamente impactados no cronograma em seis meses, pois tivemos na obra dois lockdowns com desmobilização do efetivo todo da obra.  A retomada foi muito difícil, pois o pessoal foi desligado pelas empreiteiras (uma vez que não se sabia a duração do lockdown), e elas tiveram de recontratar por duas vezes, o que atrasou significativamente nosso cronograma de obra.  Nossa programação de começar as atividades está prevista para o final de 2021, caso não tenhamos novas paralisações”, avisa o diretor industrial.

Sobre o final de ano, a fim de manter-se o cronograma de início da planta para o final do ano de 2021, as obras terão recesso apenas nos dias 24 e 25 de dezembro de 2020 e dias 31 de dezembro de 2020 e dia 1º de janeiro de 2021.  Na primeira quinzena de janeiro as obras deverão ser intensificadas com a montagem.

Para o prefeito Antonio Ceron esta nova empresa mudará o cenário socioeconômico de Lages. “A Prefeitura é parceira neste importante investimento privado que trará emprego e renda para a população”.

Uma potência em produção de madeiras sofisticadas e em energia

A nova fábrica terá capacidade de produzir 570 mil metros cúbicos de MDF e 450 mil metros cúbicos de serrados por ano. Os produtos serão destinados tanto para o mercado interno como para o mercado externo. “Estimamos a movimentação de cargas em aproximadamente 500 carretas diárias, entre entrada de matérias-primas e insumos e saídas de produtos acabados”, estima o diretor industrial, Daniel Berneck. A caldeira e geração de energia deverão iniciar junto com a planta em outubro do próximo ano. A possibilidade é de cogerar até 30 MWh de energia elétrica.

São 600 famílias beneficiadas com empregabilidade

Na nova unidade fabril, a Berneck está investindo aproximadamente R$ 1 bilhão. A previsão é que a fábrica de Lages gere até 600 empregos diretos e mais de 1,5 mil empregos indiretos, “além de beneficiar toda a economia local”, como aponta o diretor industrial da empresa. A Berneck já possui unidades fabris em Curitibanos e em Araucária, no Paraná.

Texto: Daniele Mendes de Melo

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!