Carreta acessa o centro da cidade, invade lateral de canteiro, enrosca em fios, deixa moradores e comércio sem energia elétrica e recebe 16 pontos na carteira de motorista e R$ 618 em multas

O conjunto de indisciplinas e violações induziu o motorista ao registro de 16 pontos na carteira de motorista, divididos entre sete pontos pelo cometimento de infração gravíssima, no valor de multa de R$ 293,47; cinco pontos pela infração grave, no valor de R$ 195,23, e quatro pontos pela infração média, resultando no valor de R$ 130,16, assim como Boletim de Ocorrência por danos ao patrimônio público

No final da manhã desta sexta-feira (26 de março), próximo ao meio-dia, um caminhão de grande porte, carreta três eixos, com extenso comprimento (máximo 18,15 metros), altura expressiva em mais de quatro metros e alto peso (peso bruto total máximo de 42 toneladas, carregado), um Mercedes-Benz modelo Axor 2540 versão S, placas de Lages, entrou pela rua Correia Pinto, centro da cidade, o que é proibido neste horário, para a qual estava seguindo desde as avenidas Presidente Vargas e Luís de Camões e, devido ao estreitamento da pista, passou por cima da lateral do canteiro entre estas duas vias e a avenida Duque de Caxias, além de a carreta, em decorrência da altura do baú, atingir os fios de fornecimento de energia elétrica, provocando rompimento e a consequente queda do abastecimento em pontos comerciais, prédios residenciais e casas do Centro, portanto, edificações da Correia Pinto e proximidades. Locais com geradores próprios de energia e nobreaks conseguiram manter seus serviços por mais algum tempo determinado, os demais foram imediatamente prejudicados.

O tráfego de caminhões acima de cinco toneladas somente está autorizado das 19h às 6h, respeitando-se a altura máxima de 4,40 metros. O caminhão provavelmente estava vazio, pois os pneus do truck estavam suspensos, o que não altera o fato do descumprimento das regras em razão do horário de passagem.

A infração causou problemas no funcionamento dos semáforos localizados nos cruzamentos entre as avenidas Duque de Caxias e Belizário Ramos (Carahá) e entre a Belizário Ramos e perto da rua Coronel Serafim de Moura, justamente quando caía uma forte pancada de chuva na hora em que motoristas retornavam as suas casas no intervalo para o almoço, um tumulto redobrado. Fotos e vídeos produzidos por populares flagraram os desrespeitos às normas do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Houve uma série de diligências para o condutor, expedidas pela Diretoria de Trânsito (Diretran), após constatadas as desobediências: Trânsito em locais e em horários proibidos a partir do ponto sinalizado, na área, via, pista ou faixa; notificação por mau estado de conservação, e causa de danos na via, sem cuidados e atenção à segurança. Em resumo, 16 pontos registrados na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), divididos entre sete pontos pelo cometimento de infração gravíssima (transitar com veículo danificando a via, suas instalações e equipamentos), no valor de multa de R$ 293,47; cinco pontos pela infração grave (transitar com veículo em mau estado de conservação), no valor de R$ 195,23, e quatro pontos pela infração média (transitar em locais e horários não permitidos pela legislação), resultando no valor de R$ 130,16, em um total de R$ 618,86 com os três níveis de penalidades, assim como foi elaborado Boletim de Ocorrência (B.O.) por danos ao patrimônio público, este pela Polícia Militar (PM). “Foram tomadas todas as providências cabíveis de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), ou seja, emitidas as autuações e determinado o documento sobre os transtornos e prejuízos criados aos bens públicos. Somos todos responsáveis por um trânsito organizado e que não ofereça riscos”, esclarece o executivo de Trânsito, da Diretoria de Trânsito (Diretran), Newton Silveira Junior. Antes das 13h, operários das Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc) já haviam resolvido o impasse e restabelecido a distribuição de energia elétrica, com a volta à normalidade pelos sistemas elétricos e eletrônicos que dependem de energia.

Texto: Daniele Mendes de Melo

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!