Governador é afastado do cargo por até 120 dias

Por 6 a 4, o tribunal de julgamento acatou a denúncia no caso de suposta fraude na compra, sem licitação, de 200 respiradores, por R$ 33 milhões. Equipamentos até hoje não foram entregues

Carlos Moisés (PSL), foi afastado temporariamente do cargo pela segunda vez. Por 6 votos a 4, o tribunal de julgamento — composto por deputados e integrantes do Tribunal de Justiça — acatou denúncia contra ele no caso dos respiradores.

Ele é acusado de crime de responsabilidade por autorizar a compra de 200 respiradores, pelo governo catarinense, ao custo de R$ 33 milhões com dispensa de licitação. O negócio foi fechado com pagamento antecipado e os equipamentos até agora não foram entregues. A Polícia Federal, porém, não encontrou elementos no inquérito para incriminá-lo.

Moisés enfrentou o segundo pedido de impeachment nesta sexta-feira (26/03) — o primeiro foi no ano passado, mas, por carência de elementos comprobatórios sobre a malversação de recursos, voltou ao governo. A vice-governadora Daniela Reineher, que assumiu por poucos dias em 2020, será convocada para chefiar o governo do estado.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!