“Estamos abandonados”, reclamam moradores sobre situação de rua em Lages

A situação da infraestrutura em vários pontos de Lages é precária. São ruas esburacadas, esgoto ao ar livre, falta de manutenção em áreas de lazer, dentre outros. Esse cenário está causando transtornos e incomodando moradores dos quatro cantos da cidade.

A reportagem do Notícia no Ato esteve na Rua Natalício Paes de Farias, no Bairro Santa Clara, e ouviu os moradores várias reclamações em relação à situação da via, que se encontra com muitos buracos e esgoto ao ar livre. Além de se encontrar em péssimas condições de trafegabilidade, a via é inclinada, o que aumenta ainda mais os transtornos.

O morador Admilson de Souza afirma que a situação perdura há quatro meses. Ele conta que os carros não conseguem subir e os motoristas se obrigam a sair pelo bairro Novo Milênio, aumentando o trajeto em mais de um quilômetro. Nem a ambulância, que costuma atender a uma vizinha de Edmilson, não consegue transitar pela via, ela apenas desce, mas não consegue subir.

Além disso, o caminhão do lixo não consegue passar pela via, e automóveis são danificados e alguns chegam a cair em uma valeta na lateral da via. Os moradores pedem providências urgentes para a Prefeitura para resolver a situação. Além de reparos, eles solicitam também a colocação de rede de esgoto pluvial na rua.

“Estamos abandonados [pelo Poder Público”. A gente já procurou ajuda de vereadores, mas ninguém apareceu para resolver a situação”, lamenta Edmilson, observado que a única forma de resolver a situação seria colocar cascalho grosso na via, para evitar que a chuva carregue o material.

O morador David Júlio Antunes também reclama muito da situação. Ele conta que, por conta de rua ser inclinada e estar em péssimas condições, os carros patinam e não conseguem subir. Por conta disso, alguns são danificados e têm pneus cortados devido às pedras pontiagudas. “A situação está complicada”, reclama.

Casos como o da Rua Natalício Paes de Farias vêm sendo mostrados com frequência pelo Noticia no Ato, que apenas está cumprindo o seu papel, que é de dar voz aos moradores. Nossa missão é levantar as necessidades e carências da comunidade e levar as demandas para autoridades, buscando, assim, uma solução para os problemas.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!