Agentes da Defesa Civil subtraem e recolhem resíduos para desobstruir parte do canal de córrego com aproximadamente um quilômetro no bairro Copacabana

De extrema relevância para a manutenção e existência das bacias hidrográficas, devido ao seu papel de fluxo d’água, os córregos, pequenos corpos de água corrente, são responsáveis, aliás, pelo início da formação de um rio. Estão por todos os lugares, nas grandes e pequenas cidades

Um dos trabalhos de maior demanda e em execução pela Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Comupdec) de Lages abrange o combate à poluição a partir da supressão de sedimentos e detritos de origem orgânica com movimentação natural e de materiais industrializados depositados irregularmente dentro e às margens de córregos e rios que cortam ruas, avenidas, bairros e loteamentos de Lages, bem como recolhimento dos resíduos, transporte para espaço apropriado e desassoreamento destes locais (retirada do assoreamento, ou seja, do acúmulo de areia, entulho e pedras, do leito de rio, riacho, lagoa, córrego ou outro tipo de canal, permitindo o livre fluxo das águas). E, conforme o planejamento da Defesa Civil, os agentes iniciaram a limpeza do córrego que passa pelo bairro Copacabana na manhã desta terça-feira (13 de abril) e será terminada de acordo com sua complexidade.

Este córrego possui em torno de um quilômetro, com largura variável entre três e quatro metros, dependendo do trecho. Os serviços serão desenvolvidos em toda a extensão do córrego em que seja possível o acesso pela máquina escavadeira hidráulica.

Um caminhão basculante (caçamba) incrementa as tarefas da máquina pesada, ambos os equipamentos próprios da prefeitura. Cones sinalizam o local, pois trata-se de serviços perto da via de tráfego de veículos e a segurança tanto de motoristas e pedestres, quanto dos servidores, deve estar inviolada. Toda a operação é supervisionada pela engenheira ambiental da Defesa Civil, Roberta Machado.

Os próximos bairros e loteamentos na programação da Defesa Civil para receber a limpeza e desassoreamento em seus córregos são Araucária, Passo Fundo, Santa Rita e Guarujá, com desobstrução dos canais e melhor fluidez da passagem das águas fluviais e pluviais após a remoção de terra desbarrancada, itens de ordem natural, como areia, pedras, madeira, gravetos, galhos e folhas, e materiais acumulados, descartados pela população inadequadamente, a exemplo de sacolas, garrafas de vidro e pet, papéis, caixas, e até pneus, sofás, camas, armários e fragmentos de eletrodomésticos ou móveis e aparelhos eletrônicos inteiros.

A limpeza já foi realizada no córrego no bairro São Sebastião no final de março e já foi concluída no bairro Ferrovia, começada na quinta-feira (8 de abril), quando houve interferência em um córrego e em uma vala de drenagem que passa nos fundos da empresa Idaza Distribuidora de Petróleo, na divisa entre os bairros Ferrovia e São Miguel, e também pela frente da linha férrea, no bairro Ferrovia. Este serviço de retirada de resíduos sólidos para desobstrução do curso hídrico foi solicitado pela própria Idaza e tem por objetivos maior liberação do canal para melhor fluidez das águas e evitar alagamentos e serve justamente para manutenção. “São frentes de trabalho constantes para maior conservação do meio ambiente e que deixam Lages mais limpa e menos sucetível a alagamentos”, salienta o secretário executivo da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Comupdec), João Eduardo da Silva Pacheco (Sargento Pacheco).

A Defesa Civil atende urgências e emergências 24 horas por dia, com acionamento pela comunidade ao plantão: (49) 98406-4037. Comunicações de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, podem ser efetuadas ao número 199. Os números 3019-7477 e 3019-7479 também atendem ao público também em horário administrativo. A Defesa Civil de Lages está situada no segundo pavimento do Terminal Rodoviário Dom Honorato Piazera, bairro Universitário, mesmo andar da Diretoria de Trânsito (Diretran).

Por que cuidar dos córregos?

De extrema relevância para a manutenção e existência das bacias hidrográficas, devido ao seu papel de fluxo d’água, os córregos, pequenos corpos de água corrente, são responsáveis, aliás, pelo início da formação de um rio. Estão por todos os lugares, nas grandes e pequenas cidades. O descarte incorreto de objetos quebrados, inservíveis e/ou substituídos e sobras de alimentos, após uso e/ou consumo pelas residências aos arredores, pode causar um grande impacto ambiental e para a qualidade de vida destas pessoas, principalmente crianças.
Algumas formas de contribuição para a recuperação de córregos, segundo o Instituto Trata Brasil, são as seguintes: Evitar construir em regiões de mananciais, com preservação da mata, pois edificar moradias em áreas de manancial é crime ambiental e contribui para o desmatamento. A mata ao redor destes córregos protege contra erosão e assoreamento.
Reutilizar, reaproveitar e reciclar tudo o que o cidadão conseguir, como garrafas pet, plásticos, caixas de leite e outros artigos que podem ser reaproveitados de outra forma ou até mesmo doados. Direcionar sobras orgânicas, como cascas e bagaços, para compostagem em hortas, colabora diretamente para a diminuição da produção de lixo e seria o ideal.
Texto: Daniele Mendes de Melo
Fotos: Defesa Civil/Divulgação

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!