Udesc Lages implantará centro de demonstração de reciclagem com apoio da embaixada da Nova Zelândia

O Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em Lages, está implantando a Estação Lixo Zero, um residuário modelo, viabilizado através de um convênio com a embaixada da Nova Zelândia.

A estação será um centro de demonstração de reciclagem de resíduos orgânicos e, também, inorgânicos, como plástico, alumínio e vidro. No espaço, haverá dois containers: um para depósito de resíduos e outro servirá como centro de treinamento. Também serão instaladas composteiras de lixo orgânico e será realizado paisagismo.

O primeiro container foi recebido no campus da Udesc Lages, nesta quarta-feira, 14. Os recursos para o projeto vieram da embaixada da Nova Zelândia, por intermédio do Instituto Lixo Zero Brasil. A implantação da estação também terá contrapartida financeira da Reitoria da Udesc e da Udesc Lages. 

A Estação Lixo Zero é uma iniciativa do professor Germano Guttler e servirá de modelo para outras cidades. Segundo ele, o espaço será uma espécie de laboratório de separação de resíduos sólidos: “Será um lugar muito convidativo para aprender a fazer toda a separação dos recicláveis; como se coloca um cartaz para chamar a atenção das pessoas sobre a separação do lixo; como devem ser os recipientes para serem instalados nas empresas e indústrias, por exemplo”.

A previsão é que a estação esteja pronta em dois meses. Em função da pandemia, as primeiras atividades, demonstrações e treinamentos deverão acontecer de forma on-line. “Quando a situação normalizar, será um local onde receberemos as crianças e estudantes da cidade inteira para que eles aprendam como fazer a reciclagem e compostagem”, explica Guttler.

O projeto também receberá os resíduos da comunidade acadêmica para serem encaminhados para cooperativas de reciclagem. “Nós poderemos, por exemplo, toda semana, levar nossos recicláveis até o container, ao invés de termos um caminhão circulando pela cidade para recolher tudo. Queremos colocar em prática novos conceitos que vão aumentar muito a eficiência da reciclagem na cidade”, conclui o professor. 

Assessoria de Comunicação da Udesc Lages/Jornalista Tatiane Rosa

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!