Servidora da Justiça doa “Coração da Gratidão” para quem deixa a UTI Covid na Serra

O mundo enfrenta tempos difíceis com a pandemia do coronavírus. Ao sair de uma unidade de terapia intensiva e se livrar da doença, as pessoas conquistam uma vitória que merece ser comemorada. A servidora Angelita Barroso, lotada na comarca de Lages, resolveu se unir aos ‘vencedores’ e passou a oferecer aos pacientes que ultrapassam essa etapa do tratamento um “coração da gratidão” – uma almofada em formato de coração, símbolo do amor e da vida. A ação voluntária tem cerca de 15 dias e atende dois hospitais da cidade.

Junto com o ‘coração’, a servidora entrega também uma carta. Nela consta uma mensagem de otimismo e gratidão, especialmente aos profissionais de saúde que trabalham para aliviar a dor e levar esperança aos pacientes e seus familiares. Em certo trecho diz: “A vida é a oportunidade abençoada que Deus nos oferta de recomeçar a cada dia, renovando as nossas forças, nos tornando pessoas melhores para que possamos fazer a diferença na vida de outras pessoas”.

A servidora relembra como surgiu a iniciativa. “Outro dia ouvi a enfermeira da UTI do Hospital Tereza Ramos falando na rádio sobre o que fazem quando o paciente sai da unidade. A equipe canta as músicas preferidas daqueles que estão internados acompanhada de violão ou gaita, ou ambos, e coloca balões coloridos. Então, pensei que poderia ajudar a tornar esse momento ainda mais especial”, conta Angelita.

Os corações são feitos em tecido de algodão, higienizados e embalados. A enfermeira Daiane Dogenski, coordena a unidade do Hospital Tereza Ramos, é uma das profissionais que entrega o mimo aos seus pacientes. “A alta é momento mais bonito e emocionante. É quando a gente devolve o paciente para suas famílias e tem a certeza de que o nosso trabalho valeu a pena. É lindo mesmo e não tem como não chorar. Assim como a iniciativa da Angelita, de se preocupar em dar carinho ao desconhecido com esse gesto em forma de coração. Um ato lindo de amor”.

Elusa Camargo foi surpreendida com o ‘Coração da Gratidão’ no armário do pai, que teve alta da UTI há poucos dias. “Abri a porta e na prateleira de cima estava aquela almofada colorida. Eu não sabia o que era e perguntei. Na hora, olhou para mim e disse: meu coração! Guarde bem meu coração. Ele guardou com muito carinho. Sair da UTI é um momento de muita superação. Para nós foi uma graça. Meu pai nasceu de novo”. Além dos pacientes do Hospital Tereza Ramos, os internados no Seara do Bem também recebem o “Coração da Gratidão”.

Taina Borges – NCI/TJSC – Serra e Meio-Oeste

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!