Depois de três meses, Lages volta a amargar mais de mil casos ativos

Casos ativos superiores a mil: Operações da Força de Segurança, de contenção ao avanço da pandemia do novo coronavírus, geram 49 atendimentos, 13 multas e 14 notificações

Na segunda semana deste mês, entre 7 e 13 de junho (segunda-feira a domingo), a Força de Segurança do Gabinete Emergencial de Prevenção e Acompanhamento ao Coronavírus, em sua operação contínua, prestou 49 atendimentos, com aplicação de 13 multas a pessoas físicas, no valor unitário de R$ 2.140, totalizando R$ 27.820, além de expedir 14 notificações. Após celebrar o recorde de 2.316 pessoas vacinadas contra a Covid-19 em apenas um dia, na sexta-feira (11 de junho), nos dois pontos (drive-thru no Parque de Exposições Conta Dinheiro e Ginásio Municipal de Esportes Jones Minosso, para pedestres), contabilizadas primeira e segunda doses, a Secretaria da Saúde de Lages comemora a marca de mais de 50% da população adulta vacinada com a primeira dose no município, alcançada neste domingo (13).

Mesmo assim, grande parcela falha no comportamento coletivo e entristece outro lado nesta batalha pela vida: As pessoas que renunciam a lazeres para poderem preservar a si mesmas, suas famílias, amigos e colegas de trabalho.

Em Lages, neste domingo (13 de junho), o secretário da Saúde do município, Claiton Camargo de Souza, compartilhou, em suas redes sociais, uma notícia triste e preocupante. O município ultrapassou o indicador de mil casos ativos de Covid-19. “Desde a alta de casos, em março, não havíamos atingido este indicador. A pandemia não acabou e infelizmente estamos vendo a nossa sociedade agindo como se a guerra estivesse vencida, fazendo festas, aglomerações, enquanto a Saúde corre para vacinar nossa população o mais rápido possível, e vamos ter que nos preparam mais uma vez para cuidar dessa nova onda”, lamenta o gestor da pasta da Saúde.

Para contextualizar, às 21h30min deste domingo (13), o boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde de Lages informou números atualizados: 78.010 vacinas aplicadas, divididas entre 58.947 de primeira dose, e 19.063 de segunda dose. Do universo de 24.835 casos confirmados desde o início da pandemia, em meados de março de 2020, 23.371 já estão recuperados, 1.004 estão ativos e 460 são de óbitos, enquanto em outras cidades da Serra Catarinense já são 289 mortes pela Covid-19.

De internações hospitalares são 78 pessoas em leitos instalados em Lages, moradoras do próprio município, e 32 de outras cidades. Em hospitais de outras cidades da Associação dos Municípios da Região Serrana (Amures) estão 108 moradores de Lages e 58 de outras cidades.

A ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) está em 100% em Lages e em 100% em outras cidades concernentes à Amures. Na enfermaria, 57% de ocupação de leitos hospitalares em Lages, e 59% em outros municípios da Associação. Em toda a Amures, cinco pacientes estão aguardando leitos de UTI Covid, sete de UTI geral e não existe nenhum aguardando leito de enfermaria Covid.
Os órgãos de segurança e ordem pública, formadores da Força de Segurança, são Defesa Civil de Lages (Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil – Comupdec), Diretoria de Trânsito (Diretran) e polícias Militar (PM) e Civil, sobre os quais estão designadas as responsabilidades de fiscalização permanente nas áreas urbana e rural do município de Lages e oferta de orientações para o cumprimento das regularizações sanitárias essenciais para frear a elevação das estatísticas de contágio pelo novo coronavírus, gerador da doença Covid-19. Ao constatar infrações, as autoridades procedem à notificação e aplicação de multas para pessoas físicas (estipuladas em cinco Unidades Fiscais do Município de Lages – UFMLs, ao valor de R$ 428 cada, total de R$ 2.140 para cada cidadão) e jurídicas (50 UFMLs, chegando-se a R$ 21.400 a cada proprietário de estabelecimento comercial, industrial ou de prestação de serviço).

Estão em vigência, atualmente, os decretos do Governo do Estado nº: 1.267. de 30 de abril de 2021, e nº: 1.306, de 1º de junho de 2021, e municipal n°: 19.131, de 19 de março de 2021. Das regras fazem parte o uso de máscara de proteção facial, disponibilidade de álcool gel para desinfecção das mãos, distanciamento social seguro de pelo menos 1,5 metros entre as pessoas e ventilação adequada em locais fechados.

Acontecimentos desoladores

Na listagem de ocorrências deste período de sete dias (7 a 13 de junho) estão evidenciados os seguintes sinistros: Em uma tabacaria na avenida Duque de Caxias, bairro Conta Dinheiro, na sexta-feira (11 de junho), o grupo da Força de Segurança averiguou a existência de excesso de pessoas no estabelecimento. Portanto, o dono foi notificado e foi realizada a dispersão das pessoas em excesso, do local.

As viaturas e guarnições se certificaram e apuraram excedência de público permitido em um bar localizado na avenida 1º de Maio, bairro Caravágio, na mesma data (11). Os procedimentos adotados foram a notificação do proprietário e afastamento das pessoas a mais no ambiente.

Em um posto de comercialização de combustíveis, situado na avenida Luís de Camões, Coral, os agentes perceberam aglomeração de pessoas sem utilização de máscara de proteção facial. A definição de penalidade cabível foi aplicar 13 multas para pessoas físicas, no sábado e no domingo (12 e 13 de junho). Comprovações de indiferença com a gravidade do problema. “A Força de Segurança reivindica à população que efetue denúncias quando notar desrespeito às medidas de prevenção a esta doença que já levou tantas pessoas embora e que atinge tantas milhares nos hospitais em casos leves, médios e graves nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). As reclamações devem ser formalizadas junto às centrais das instituições engajadas, pelos telefones 190, da Polícia Militar, ou 98406-4037, da Defesa Civil. Somente com o auxílio mútuo da comunidade poderemos efetivar um serviço de qualidade. Vamos todos nos cuidarmos”, aconselha o executivo da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Comupdec), João Eduardo da Silva Pacheco (Sargento Pacheco).

Examinou-se, pela Força de Segurança, a diminuição dos números de denúncias nas últimas três semanas. Contudo, concluiu-se que houve aumento de casos de aglomerações em praças e outros espaços públicos.
Texto: Daniele Mendes de Melo/Fotos: Defesa Civil/Divulgação

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!