Reunião mostra situação da segurança nas escolas e aponta soluções para aprimorá-la

O tema segurança nas escolas reuniu na Câmara de Lages autoridades ligadas ao assunto na noite de 23 de junho. Proponente da reunião, a vereadora Profª Elaine Moraes (Cidadania) esclareceu que o propósito do encontro foi saber o que motiva essa violência a fim de que se encontrem meios para resolvê-la. “Sabemos que não há uma solução imediata para isso, a violência não é somente uma preocupação das escolas, mas de toda a sociedade e deve ser combatido por todos. Precisamos conhecer a raiz deste problema para buscarmos alternativas frente a isso”.

Governos municipal e estadual apresentam o aparato que oferecem à segurança nas escolas

A primeira a se manifestar entre os convidados foi a secretária municipal de Educação, Ivana Michaltchuk. Ela apontou que existem 1.008 sensores monitorados eletronicamente instalados em 111 das 130 unidades escolares de responsabilidade do município. Após o alarme disparar, o tempo de resposta para os vigias chegarem ao local varia entre sete e quinze minutos. A secretária também comentou que o município está investindo na aquisição de 640 câmeras para vigilância interna e externa das unidades e que devem estar funcionando em três meses.

A própria pandemia colaborou para com a segurança dos locais, uma vez que a adoção de alguns métodos de controle para a entrada nos locais, como a aferição da temperatura, inibiu a presença de pessoas estranhas. Ivana também disse que 42% das escolas de ensino básico e 47% dos centros de educação infantil possuem portão eletrônico. “São iniciativas que inibem muito o acesso de pessoas que não pertencem ao ambiente escolar”, disse.

Algumas das maiores unidades escolares dispõem de vigilância humana. Segundo o responsável pela segurança das escolas do município, Luis Henrique de Souza, são 46 vigias atuando em 31 locais no período noturno e em outros cinco durante o dia, como nos Caic’s, por exemplo. Duas viaturas fazem rondas de dia e uma à noite. “Todas as unidades escolares têm o telefone da ronda e dependendo da ocorrência a própria ronda entra em contato com a Polícia Militar, que é a nossa maior parceira em todas as situações”, disse.

Representante da Coordenadoria Regional de Educação, Carla Müller citou o atendimento oferecido através do Núcleo de Prevenção às Violências (Nepre), o qual atua em forma de palestras, cursos e experiências exitosas, como o “Educando para Boas Escolhas”, que iniciou em 2019 e é voltado para a violência dentro da internet. “Ele ensina aos pais e professores alguns macetes de controle e formas de proteção aos estudantes”, comenta. Muller disse que vai reunir os relatórios do sistema Nepre e encaminhar para o conhecimento da Câmara.

Das 24 escolas estaduais de Lages, 10 possuem vigilância humana, variando de 8 a 16 horas, conforme o turno de funcionamento. Com o término do contrato da vigilância patrimonial, Muller diz que o novo processo licitatório vai garantir que todas as escolas estaduais em Lages tenham vigilância humana até o mês de outubro, em algumas por até 24h, além da ampliação do número de sensores e de câmeras de monitoramento.

Rede de Segurança Escolar, da Polícia Militar, reforça a sensação de segurança nas instituições de ensino

Comandante do 6º Batalhão da Polícia Militar, o tenente-coronel Fabiano da Silva falou sobre o projeto preventivo Rede de Segurança Escolar, no qual os policiais visitam as unidades e dão orientações sobre a segurança orgânica nas escolas e também nas atividades desenvolvidas nestes espaços. Este trabalho é desenvolvido em 19 instituições de ensino municipais e 19 estaduais de Lages, com a possibilidade de incremento para outras 17 unidades até o início de 2022.

“Rotineiramente temos policiais que fazem visitas frequentes às unidades, fazem laudos de ordem pública onde a gente aponta as vulnerabilidades do local e, assim, as escolas têm condições de ter um norte do quê e onde buscar para melhorar a situação de segurança nestes locais”, disse o comandante, que frisa que a atuação também acontece junto à Rede Catarinas e o Proerd, o que faz com a polícia militar esteja rotineiramente no ambiente escolar.

No entanto, o comandante Fabiano reforça que as escolas precisam melhorar suas questões estruturais e de pessoal para que disponham de acompanhamento psicológico para com seus alunos e corpo docente, além de que os próprios profissionais da educação necessitam de um preparo quanto à capacidade para identificar alunos que possam praticar alguma situação ou mesmo que estejam sofrendo algum tipo de violência, seja no ambiente escolar ou em seu seio familiar.

Ele também comentou sobre o suposto caso de ataque a uma escola em Lages, do qual identificaram o aluno, o conduziram aos pais e à presença do diretor da unidade e a situação foi sanada. “Esse é o trabalho da Rede de Segurança Escolar, tão logo apareça a demanda da escola, imediatamente os policiais fazem a intervenção e impedem qualquer situação que porventura possa vir a ocorrer”, destaca.

Capacitação dos profissionais e conscientização de toda a comunidade escolar é reforçada pela proponente

No desfecho dos trabalhos, Elaine Moraes disse que se a Rede de Segurança Escolar da PM tiver a mesma eficácia da Rede de Vizinhos, a comunidade escolar terá resolvida a maioria de seus problemas neste quesito. A ampliação da vigilância humana nas unidades também foi um ponto comemorado pela vereadora.

Para aperfeiçoar a situação, ela recomendou a realização de uma campanha de conscientização junto aos funcionários, professores e alunos sobre a forma com a qual se comunicam a fim de não expor suas vidas e as unidades escolares. Ainda sugeriu uma cartilha que traga orientações aos membros da comunidade escolar de como proceder preventivamente em casos de violência, invasão, incêndios e sinistros de qualquer natureza, além da criação de um Fórum de Segurança Escolar que reúna mensalmente as diversas partes envolvidas, de modo a detectar os problemas e buscar medidas preventivas a estas violências.

Fotos: Alex Branco (Câmara de Lages)/Everton Gregório – Jornalista/Comunicação – Câmara de Vereadores de Lages

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!