Cerrito planeja monumento as Casas Subterrâneas

A um passo de ter o reconhecimento por Lei Estadual, como “Capital das Casas Subterrâneas”, São José do Cerrito planeja implantar em breve, um monumento alusivo às civilizações antepassadas. O protótipo de um sítio arqueológico com duas ou três choupanas, piso rebaixado e índios em ritual ao redor, será instalado no acesso Oeste do município e representará um marco no fomento ao turismo local.
A equipe de engenharia da Amures esteve no local semana passada, à pedido do prefeito José Dirceu da Silva e do vice-prefeito Leonardo Garcia Heinzen para avaliar e elaboração do projeto. A arquiteta Elisiane Grudtner e a assessora de turismo Ana Vieira, emitiram parecer pela elaboração do projeto e a edificação deverá ser construída no entroncamento do acesso Oeste, com a BR-282.
O secretário de Educação, Cultura, Desporto e Turismo, Alcione Doniste Mota acompanhou a visita técnica. Assim que o projeto estiver pronto, será iniciada uma mobilização pela busca de recursos. O valor do monumento, ainda não tem cálculo finalizado e dependerá do projeto da equipe da Amures.
“O primeiro passo nesse processo este bem encaminhado. O Projeto de Lei do deputado Marcius Machado já foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) e aguarda tramitação na Comissão de Turismo e Meio Ambiente. Depois da aprovação vamos intensificar o projeto e a busca pelos recursos para implantarmos esse ícone do nosso turismo”, explicou o vice-prefeito Leonardo Garcia Heinzen.
Os sítios arqueológicos de São José do Cerrito, são atribuídas ao povoamento Jê Meridional ou, mais especificamente, aos grupos Kaingang e Xokleng. São chamadas subterrâneas porque as edificações eram montadas a partir de escavações ficando para fora só o telhado com cobertura de palhas e vegetais.

Fonte:Amures

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!