Reajuste na tarifa da Celesc é autorizado pela Aneel

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) deliberou nesta terça-feira, 17, sobre o reajuste de tarifa concedido anualmente a Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc). O órgão autorizou a empresa catarinense a reajustar a tarifa em 5,65%, em média. O percentual entra em vigor a partir do próximo domingo, 22.

Pela decisão da Aneel, o percentual de 5,65% é o reajuste médio para os consumidores catarinenses ligados à Celesc. Para consumidores de baixa tensão, residências, o aumento médio é de 5,83%, e para os consumidores de alta tensão, empresas e indústrias, o aumento médio é de 5,34%.

Segundo a Aneel, o consumo de baixa tensão tem tido variação maior do que o de alta tensão e, assim, gerado mais demanda à rede elétrica. Com isso, o aumento foi maior para este grupo.

Entre os itens que compõem os critérios de reajuste está o aumento do custo de energia (+1,8%), de encargos setoriais (+1,5%), de componentes financeiros (+1,4%), da retirada dos financeiros anteriores (+1,2%), e de distribuição (+0,9%). O único item com redução foi o custo de transporte (-1,3%).

Valor do reajuste

Com a revisão, o valor do custo do watt-hora (MWh) da Celesc passa de R$ 69 para R$ 71. O valor é um dos menores do país, com média de R$ 160 o MWh.

O reajuste ficou abaixo da inflação do período: a tarifa variou positivamente em 5,65%, contra 8,99% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), aponta a Aneel.

A deliberação é parte do reajuste anual que considera o custo de produzir, distribuir e transportar energia pela Celesc. A revisão ocorre sempre em agosto. Apesar disso, a tarifa sofreu reajustes durante o ano devido à aplicação de bandeira vermelha, que implica em cobrança extra para períodos de crise hídrica ou dificuldade de produzir energia.

A Celesc tem cerca de 3 milhões de consumidores em 285 cidades do Estado. A cobertura é de 92% do território catarinense.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!