Música no Casarão Juca Antunes

Fundação Cultural de Lages resgata Piano de Sobremesa com apresentação ao vivo no dia 21 de agosto


Piano de Sobremesa foi um projeto desenvolvido pela Fundação Cultural de Lages com o maestro Antonio Lugon que levava música ao vivo por duas vezes por semana ao palco do Teatro Municipal Marajoara no horário das 12h30 às 13h30. Nas terças e quintas-feiras, Lugon – e eventualmente alguns convidados – apresentavam um repertório para todos os amantes da música de piano. O projeto teve sua última apresentação ao vivo no teatro em 8 de abril de 2019 e algumas edições em lives durante a pandemia da Covid-19.
Para contemplar as atividades do segundo semestre do Casarão Juca Antunes – equipamento cultural administrado pela Prefeitura de Lages por meio da Fundação Cultural – no próximo sábado (21 de agosto), a partir das 19h30, Lugon reviverá os momentos do palco do Marajoara, desta vez na histórica casa da esquina da Rua Benjamin Constant com a Rua Coronel Córdova.
Segundo o músico, o evento terá cerca de uma hora de duração e terá presença de público, porém, com limitação de acordo com as normativas de combate ao vírus da Covid-19. As entradas são gratuitas e podem ser adquiridas através do link https://bityli.com/vD2fx .
Para o superintendente da FCL, Giba Ronconi, a utilização do Casarão Juca Antunes passa a ser uma constante no cronograma de atividades da cidade. “O restauro do Casarão foi de responsabilidade da iniciativa privada pela CTG Brasil e entregue ao município em 2020. A partir de agora a Fundação Cultural e agentes culturais da cidade podem contar com mais um equipamento cultural público a serviço da propagação e inserção das pessoas nas artes”, comenta.
Serviço:
O quê? Piano de Sobremesa com Antonio Lugon;
Quando? 21 de agosto de 2021, sábado, 19h30;
Onde? Casarão Juca Antunes;
Como? Ao vivo, com limitação de público;
Ingressos? Gratuitos pelo link https://bityli.com/vD2fx (vagas limitadas);
Informações? Fundação Cultural de Lages, (49) 3019 7481.

Texto: Fabrício Furtado
Fotos: Fabrício Furtado (arquivo FCL anteriores à pandemia)

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!