Enxertia de araucária será tema de evento nesta terça-feira

A arriscada tarefa de escalar o pinheiro para extrair as pinhas, está com os dias contados. É o que mostrará na noite desta terça-feira (14), o professor do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal da Universidade Federal do Paraná – UFPR, Ivar Wendling.

Em uma videoconferência, a partir das 18h30min, o pesquisador da Embrapa Florestas abordará o tema: Produção de Mudas de Araucária Precoce para Implantação de Pomar. O evento organizado pelo Conselho de Turismo da Serra Catarinense – Conserra e Amures, deverá contar com a participação de pesquisadores, prefeitos, secretários municipais de agricultura e turismo e autoridades de empresas de pesquisa da região.

Doutor em Ciências Florestais pela Universidade Federal de Viçosa e Pós-doutorado pela University of the Sunshine Coast, QLD, Australia, Ivar Wendling é pesquisador da Embrapa, além de orientador de mestrado e doutorado. Membro do corpo editorial das Revistas Scientia Forestalis, Cerne, Advances in Forestry Science, Food Science and Technology e Global Journal of Agriculture, Innovation, Research and Development, ele falará do protocolo de enxertia que viabiliza pomares de pinhão com pinhas acessíveis, com araucárias com no máximo 2 a 5 metros de altura e tempo de produção entre 5 a 7 anos.

Terão acesso à videoconferência para perguntas e informações relacionadas ao assunto, um grupo restrito de convidados. Mas o evento terá transmissão ao vivo pelo facebook da Amures e será gravado para ficar à disposição de quem desejar assistir e empreender na atividade.

O presidente do Conserras empresário Eliseu Farias, disse que um grande número de pessoas aguarda por essas informações. “O cultivo de araucárias mais produtiva e em menos tempo interessa a várias cadeias produtivas. Essa técnica da enxertia tem de ser multiplicada e estar acessível às pessoas gerando oportunidades e fomentando a economia regional”, defende Eliseu Farias.

Este sistema de produção gera possibilidade de obter mais mudas fêmeas e plantá-las em proporção diferente daquela encontrada na natureza. Assim melhora a produtividade de pinhão. E desta forma, é possível utilizar o jardim clonal para a obtenção de brotos e realização dos enxertos.

Fonte:Amures

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!