Deputado Marcius Machado não desiste e protocola Projeto de Lei que proíbe corrida de cães em SC


Com a assinatura da maioria dos deputados, Projeto poder voltar a ser objeto de apreciação em 2021

Na luta pela proibição das corridas de cães em Santa Catarina, o deputado Marcius Machado (PL) conseguiu as assinaturas necessárias para a reapresentação do Projeto Lei que proíbe a prática no Estado. O texto já foi protocolado na Diretoria Administrativa e poderá ser votado ainda em 2021.

O Projeto de Lei foi rejeitado pela maioria dos deputados no último mês, causando revolta nos protetores de animais catarinenses e em Marcius, que é representante da causa na Alesc. Na época, o deputado garantiu que não desistiria do tema.

De acordo com o regimento interno da Alesc, o Projeto rejeitado poderá ser objeto de apreciação na mesma Legislatura se tiver a assinatura da maioria absoluta dos membros, ou seja, 21 assinaturas. Na última terça-feira (14), o deputado Marcius Machado conseguiu 27 assinaturas. O Projeto foi protocolado no plenário da Alesc no mesmo dia.

Assinaram o documentos os deputados: Ada de Luca (MDB), Dirce Heiderscheidt (MDB), Fabiano da Luz (PT), Felipe Estevão (PSL), Fernando Krelling (MDB), Ismael dos Santos (PSD), Ivan Naatz (PL), Jair Miotto (PSC), Jerry Comper (MDB), Julio Garcia (PSD), Laércio Schuster (PSB), Luciane Carminatti (PT), Marlene Fengler (PSD), Maurício Eskudlark (PL), Mauro de Nadal (MDB), Moacir Sopelsa (MDB), Nazareno Martins (PSB), Neodi Saretta (PT), Nilso Berlanda (PL), Paulinha (sem partido), Romildo Titon (MDB), Sargento Lima (PL), Sergio Motta (Republicanos), Silvio Dreveck (PP), Valdir Cobalchini (MDB), Volnei Weber (MDB).

A proposta de Lei pretende proibir a realização de competições de corrida de quaisquer raças de cães, no Estado de Santa Catarina, principalmente dos cães galgos que costumam ser treinados para tais competições, com o uso de anabolizantes e são vítimas de maus tratos para melhorar seu desempenho. Recentemente, a Polícia Militar flagrou uma ocorrência no sul do Estado, os animais foram levados para cuidados da veterinária Kátia Chubaci.

A médica veterinária ressalta que estes animais tiveram problemas psicológicos, chegando a ter pesadelos enquanto dormiam. “Eles choravam e pedalavam ao mesmo tempo. Era muito triste”.

O Projeto de Lei apresentado por Marcius Machado não proíbe a realização de corridas de cães em casos de treinamento pelas polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, para atuarem nas ações de busca e salvamento, resgates e investigações de combate ao tráfico de drogas, ao contrabando de armas e à utilização de artefatos explosivos.

Foto: Camila Paes

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!