Segunda parte do Seminário Lixo Orgânico Zero será realizada nesta segunda-feira (25)

A Prefeitura de Lages, através da Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente, em parceria com o CAV-Udesc com o apoio financeiro do Fundo Socioambiental/Caixa e Fundo Nacional do Meio Ambiente do Ministério do Meio Ambiente vem desenvolvendo o Projeto Lixo Orgânico Zero (PLOZ) desde 2018

Está programada para esta segunda-feira (25 de outubro), de forma híbrida, no Órion Parque, a partir das 19 horas, com transmissão pelo canal do Youtube, a segunda parte do Seminário Lixo Orgânico Zero. Este evento faz parte da Semana da inovação Tecnológica e Semana Lixo Zero e deverá reunir as instituições parceiras do projeto tendo como ponto alto o reconhecimento das 25 instituições referência do ano de 2021 no desenvolvimento da Compostagem a partir do Método Lages de Compostagem – Projeto Lixo Orgânico realização a partir do 1º edital de Compostagem promovido pelo Fundo Nacional do Meio Ambiente do Ministério de Meio Ambiente e Fundo SocioAmbiental/Caixa.

A Prefeitura de Lages, através da Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente, em parceria com o CAV-Udesc com o apoio financeiro do Fundo Socioambiental/Caixa e Fundo Nacional do Meio Ambiente do Ministério do Meio Ambiente vem desenvolvendo o Projeto Lixo Orgânico Zero (PLOZ) desde 2018.

A partir do PLOZ muitas escolas e instituições têm dado atenção à destinação adequada aos resíduos produzidos em especial as sobras orgânicas da cozinha possibilitando as merendeiras, servidores, docentes e estudantes envolvimento com o “Método Lages de Compostagem” e consequentemente com a reciclagem e desvio de resíduos do aterro sanitário.

O projeto enfatiza o Método Lages de Compostagem que possibilita a qualquer cidadão destinar adequadamente as sobras orgânicas de sua cozinha para a compostagem. A iniciativa de atuar junto às escolas por adesão evidencia a importância da Educação no processo de mudança de comportamento de uma sociedade e o quanto temas do cotidiano como a destinação adequada de resíduos impactam na forma de vida das pessoas oportunizando ações responsáveis e compartilhadas para o progresso individual e consequentemente das cidades. “O Lixo – Resíduo precisa ser melhor explorado ele  tem potencial econômico, social e ambiental e precisamos estar atentos a práticas que possam ser adotadas e multiplicadas atendendo inclusive aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS)”, comenta a diretora de Serviços Públicos e Meio Ambiente, Silvia Oliveira.

Parcerias

O Projeto Lixo Orgânico Zero firmou parceria com mais de 100 instituições que através de termos de compromisso firmados recebem assessoria do município através da Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente – Direção de Meio Ambiente (Silvia de Oliveira) e acompanhamento de bolsistas do Cav- Udesc coordenados pelo Prof. Dr. Germano Güttler que tem o papel de orientar, acompanhar e motivar na otimização da compostagem nestas instituições, bem como, expandir informações para a comunidade.

Inúmeros municípios brasileiros estão desenvolvendo o “Método Lages de Compostagem” entusiasmados pela experiência desenvolvida em Lages. “O PLOZ já ultrapassou fronteiras internacionais elevando o nome da cidade e de pessoas que fazem a diferença  e que entendem que as sobras orgânicas da cozinha fazem parte do ciclo do alimento e não do ciclo do lixo”, salienta Silvia.

Testes no aterro sanitário de Lages

No final de 2020 foi realizada pela Projeta Ambiental Júnior teste gravimetrico no aterro sanitário de Lages e foram obtidos resultados animadores, pois para o aterro deve ir de fato somente rejeitos ou seja aquilo que não tem jeito de ser aproveitado

– teor de resíduos orgânicos de 21,3%,

– teor de recicláveis 22,7%

– teor de rejeitos de 56%.

“A partir disto pode-se dizer que Lages está em constante evolução e tem o envolvimento da sociedade pra tornar-se uma cidade Lixo Zero pois esta já aderiu a proposta de fazer parte da solução do problema com o lixo tornando-se protagonista no processo de destinação adequada dos resíduos” ressalta o secretário de Serviços Públicos e Meio Ambiente, Delfes Rodrigues.

Fonte: Silvia Oliveira (diretoria de Meio Ambiente)/Fotos: Divulgação

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!