Operação Meridiano-Ibagé: o trabalho realizado pelo Ccop do CMS


O mês de novembro será histórico no Comando Militar do Sul, com a celebração do
centenário dos blindados no Brasil e o maior exercício militar do país neste ano. Coordenado pelo
Ministério da Defesa, o Exercício Conjunto Meridiano conta com a participação de cerca de 5.000
militares, 1.000 viaturas, aviões e helicópteros.
Com o objetivo de avaliar e manter a operacionalidade e a capacidade de pronto-emprego
das Forças Armadas, o Exercício é dividido em três fases. A primeira, chamada de Meridiano-Poti,
ocorreu entre 23 e 28 de outubro, no Pará, e foi conduzida pela Aeronáutica com o uso de
aeronaves. A segunda fase, de 3 a 6 de novembro, será o módulo Dragão. A cargo da Marinha,
ocorrerá a bordo do Navio Aeródromo Multipropósito, entre o litoral do Rio de Janeiro e do Espírito
Santo. Já a terceira etapa, sob responsabilidade do Exército, será o módulo Ibagé, de 5 a 14 de
novembro, no Rio Grande do Sul.
No contexto da operação, o CMS celebrará os 100 anos dos blindados no Brasil. No dia 8, a
partir das 20h, no 1º Regimento de Carros de Combate, em Santa Maria, uma solenidade militar
será realizada para celebrar o centenário da chegada do Renault FT-17, primeiro blindado do
Exército Brasileiro. O evento será aberto à imprensa, que poderá receber mais informações sobre a
Operação Meridiano-Ibagé.
No dia seguinte (9), as atenções serão voltadas ao Campo de Instrução Barão de São Borja
(Saicã), em Rosário do Sul, onde ocorre a Operação. O adestramento colocará duas Divisões de
Exército como oponentes, com o desdobramento dos meios de comando e controle, em uma
manobra de movimento (200 km de frente por 150 km de profundidade). A atividade também
proporcionará a inserção de ações críticas conjuntas e singulares, como ataque ar-solo de aeronaves
da FAB, assalto aeroterrestre e aeromóvel, operações especiais e de informação, tudo em um mesmo
contexto tático.
As duas Divisões de Exército realizaram, previamente, atividades de simulação de combate
em condições similares às exigidas para o Exercício, o que demonstra uma progressão no
adestramento. A Operação Meridiano-Ibagé desenvolve a sinergia entre as Forças Armadas nos
diversos níveis de Comando e é voltada ao processo de tomada de decisões com o adestramento dos
Estados-Maiores, desde o nível Unidade até o Grande Comando, todos desdobrados no terreno. Este
é um desafio para os Exércitos mais desenvolvidos do mundo

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!