Secretaria Municipal da Saúde prorroga Campanha de Multivacinação em crianças e adolescentes

A ação continua tendo como público-alvo crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade (14 anos 11 meses e 29 dias) não vacinados ou com esquemas vacinais incompletos


A Prefeitura de Lages, por meio da Secretaria da Saúde, com base no Programa Nacional de Imunizações (PNI), realizou e aderiu, no período de 01 a 29 de outubro de 2021, à Campanha Nacional de Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação das crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade. Ao final do mês, a gestão recebeu Ofício Circular, do Ministério da Saúde, solicitando a manutenção e ampliação de esforços junto aos municípios para desenvolver estratégias que visem melhorar o desempenho da vacinação da população-alvo da campanha, na perspectiva de alcançar elevadas e homogêneas coberturas vacinais em conformidade com os indicadores definidos para cada vacina. Lages, portanto, com o objetivo de oportunizar ainda mais o acesso às vacinas contempladas no Calendário Nacional, além de atualizar a situação e melhorar as coberturas vacinais, estará prorrogando a Multivacinação até o dia 30 de novembro.


Para receber a vacina, é preciso que todo o público-alvo compareça à Unidade de Saúde a qual é coberto, e que possua sala de vacina, acompanhado de um responsável, portando a caderneta de vacinação, um documento original com foto e o cartão SUS ou CPF. Dessa forma, os profissionais de saúde poderão avaliar se a criança ou adolescente não recebeu alguma vacina ou se há alguma dose que necessita ser aplicada para completar ou iniciar o esquema vacinal que consta no Calendário. “Lembrando que, com a imunização em grande escala, é possível haver um controle, diminuição, eliminação e/ou erradicação das doenças imunopreveníveis (evitáveis com a vacinação)”, salienta o secretário municipal da Saúde, Claiton Camargo de Souza.
Para maiores informações, entrar em contato com a sua Unidade de Saúde de referência, ou pelo telefone: (49) 3251-7630 – Central de Vacinas.

Texto: Emellin Camargo

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!