//ADR-Lages continua sendo reduto político de Raimundo Colombo

ADR-Lages continua sendo reduto político de Raimundo Colombo

Na política eleitoreira tudo pode. Até o que menos se imagina. Quem não se lembra do que dizia Raimundo Colombo, quando prefeito de Lages, de que as ADR’s, naquela época, Secretaria do Desenvolvimento de Lages, eram “cabides de emprego”. Até os mais céticos imaginavam que ele, ao assumir o governo Estado, com certeza extinguiria essa instituição. Pelo contrário, a manteve e virou seu local predileto para amparar amigos e correligionários políticos. Hoje, mesmo fora do Governo catarinense ainda a ADR-Lages é considerada reduto de Raimundo Colombo, um local intocável, onde seus asseclas permanecem ocupando cargos mesmo que o Governo seja do MDB. Isso é o que menos importa. Diante disso, tudo leva a crer que a coligação MDB/PSD ainda continua de vento em poupa; e, não admirem se não partirem unidos no próximo pleito eleitoral.

Nomeações

Enquanto as pedras que movem o tabuleiro político em Lages são jogadas lentamente, parecendo um verdadeiro jogo de Xadrez, tímidas nomeações pipocam no farto comentário político da imprensa local. Como é o caso da nomeação do advogado Rogério Schultz que assumiu um cargo na diretoria administrativa do Hospital Tereza Ramos. Segundo comentários sua nomeação aconteceu graças aos empenhos do vereador David Moro e da deputada estadual Dirce Heiderscheidt. Enquanto isso, muitos emedebistas deixaram a ADR, como é o caso de Marcos Beffart, Diego Oliveira, irmão do vereador Thiago de Oliveira e Marilena Arruda Abreu. Diante desses fatos, o presidente do MDB de Lages, Luiz Ademar Paes e outros integrantes da Executiva do partido seguiram para Florianópolis na segunda-feira para uma reunião com o Governador Pinho Moreira. Afinal, a ADR-Lages parece ser mesmo território do ex-governador Raimundo Colombo, e o atual mandatário estadual não quer dar ordens ou tomar algumas outras providências no famoso cabide de emprego, atualmente comandada pelo PSD.