//Mais um passo é dado no processo de elaboração do Plano Estratégico da Gestão Municipal

Mais um passo é dado no processo de elaboração do Plano Estratégico da Gestão Municipal

Documento será histórico e irá delinear o planejamento a ser seguido pelos gestores até 2020

Lages está a caminho de se tornar uma cidade administrativamente mais dinâmica e inovadora, e a causa foi abraçada pelo Poder Público Municipal. Entre as medidas adotadas para se alcançar maior efetividade nos serviços públicos e ampliar a transparência da eficácia compreende o Plano Estratégico da Gestão Municipal (Pegem), uma das vertentes do Programa Cidade Empreendedora, com realização da prefeitura de Lages e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Secretários de diferentes pastas do Município e técnicos estão desde cedo, até o fim do dia desta terça-feira (15) concentrados no Parque Órion, especificamente nas discussões acerca da elaboração do Pegem, partindo dos objetivos de identificar setores e problemas prioritários, definição de métodos e a elaboração do Plano em si. Os trabalhos estão coordenador pelo consultor organizacional do Sebrae, João Lázaro Ferreira.

Esta é a continuidade do workshop sobre planejamento estratégico e terá finalização com a elaboração da missão, visão e valores da prefeitura, além de construir projetos dentro de dez linhas estratégicas discutidas na primeira parte do workshop. São dois encontros no total de 16 horas. “Hoje na realidade será uma imersão no trabalho em que vamos demandar projetos específicos de planejamento da gestão municipal”, pontua o consultor.

Lázaro está desenvolvendo seu trabalho de diagnóstico e verificação de dificuldades na esfera pública da prefeitura há dois meses e foram apontados dez objetivos estratégicos, traçando uma trilha a ser cumprida para se chegar a uma linha de futuro. Deste modo, neste contexto, se trabalhará nas deficiências e pontos positivos das áreas. “A ideia é manter as forças e oportunidades, reduzir ou eliminar as fraquezas e ameaças. Com estes raciocínios, a equipe vai produzir projetos. O prazo de execução é linear para 2020. Numa linha de raciocínio de comparação, a gente tem uma variedade em cima de perfil de gestão em prefeituras. Mas muita coisa se assemelha, por exemplo, em termos de comunicação interna. Isto tem de ser transformado em ação que ao mesmo tempo beneficie servidores e munícipes”, adianta Ferreira. No primeiro encontro, o colegiado conheceu os problemas de forma integral e interativa.

Daqui um mês

A partir de então haverá, nos próximos 30 dias, reuniões de consultoria e análises junto às secretarias demandantes dos projetos, e então as informações serão compiladas e o Plano será validado pelo prefeito Antonio Ceron, no final de junho. Todos os projetos serão monitorados pelo sistema de software do Sebrae, Gestão Orientada para Resultados (Geor), a ser acompanhado por uma pessoa de cada secretaria, devidamente capacitada. Nas visitas quinzenais, até dezembro deste ano, feitas pelo consultor do Sebrae, haverá acompanhamento e atualização de cada projeto.

O vice-prefeito, Juliano Polese, está direta e assiduamente ligado ao Cidade Empreendedora, e está participando das atividades desta terça. “O Cidade Empreendedora vai ao encontro de uma necessidade do município de Lages, que é justamente prever ações para melhorar o futuro da cidade e a vida das pessoas, sempre o objetivo maior do gestor público. Neste conjunto de 34 ações, se atuará nas diversas áreas da cidade. No Plano de Desenvolvimento Econômico Municipal (PDEM) a sociedade civil organizada está engajada e há cinco eixos definidos pela própria comunidade para pensarmos o desenvolvimento econômico no curto, médio e longo prazo. Internamente, no Pegem, o colegiado pensam a partir dos nossos compromissos assumidos no Plano de Governo”, lembra Polese, se reportando, ainda, ao curso Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPPs), cuja proposta é levar o empreendedorismo para dentro de 12 escolas municipais, mudando o perfil de Lages. O foco são alunos do 1º ao 9º anos do ensino fundamental. Os professores já foram capacitados. Outras 20 escolas serão beneficiadas num segundo momento.

O Programa Cidade Empreendedora contempla 34 ações. De acordo com João Lázaro Ferreira, dentro do pacote do Programa, as ações se adéquam ao perfil e necessidade do município. Porém, há um padrão de diligências desenvolvido simultaneamente nas cidades por consultores especialistas distintos. Em Lages, já estão em execução os serviços da Sala do Empreendedor, Programa Lages Bem Mais Simples (empresas abertas em 24 horas, o que levava até 120 dias) e Plano de Desenvolvimento Econômico Municipal, bem como a desburocratização, contas governamentais e o caderno Lages em Números. Todo o trabalho acontece respeitando-se a divisão em seis eixos: social, econômico, infraestrutura, ambiental, tecnologia e política pública. A parceria com a prefeitura se dá através de um custo subsidiado, dividido entre Sebrae e prefeitura.

Fotos: Marcelo Pakinha