Serra Catarinense abre o calendário de inspeções e ouvidorias da CGJ em 2019

É terminação da Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que todas as Corregedorias do Brasil visitem presencialmente a totalidade das varas ao logo de três anos em seus estados. Em Santa Catarina, além de cumprir essa orientação, a Corregedoria Geral da Justiça (CGJ) está presente em no mínimo 60% das comarcas catarinenses durante o ano. O calendário de 2019 iniciou com correições e ouvidorias judiciais nas comarcas de Curitibanos e Lages, na Serra Catarinense, nesta semana.

“O cumprimento da exigência é algo até secundário. Nosso objetivo estar mais próximos dos magistrados e servidores para compreender a realidade de cada comarca e dar os devidos encaminhamentos”, frisa o Corregedor-Geral da Justiça, desembargador Henry Petry Junior.

Em outubro de 2018, equipe da CGJ havia estado em Lages com esse mesmo propósito. Naquela oportunidade, também foram visitas as comarcas de Campo Belo, Otacílio Costa e Corria Pinto. Neste ano, de acordo com o desembargador, todas as unidades serranas devem ser inspecionadas.

Algo que chamou a atenção desta vez foi o número de participantes da ouvidoria. Muitas pessoas estiveram no Fórum Nereu Ramos, em Lages, para conversar com os corregedores. A atividade marcada para ocorrer entre 11h e 11h30min se estendeu até perto do meio dia. Tiveram a chance de elogiar, criticar e sugerir mudanças nas repartições inspecionadas.

Em alguns setores das duas comarcas se observou um quadro deficitário de servidores e pouco espaço físico, comum em todas as unidades catarinenses. Especificamente em Lages, há a necessidade de mais um juiz substituto. Atualmente, apenas uma magistrada atende as demandas. Assuntos abordados em conversa com o juiz diretor do Fórum, Leandro Passig Mendes, que recebeu os corregedores em seu gabinete.

Unidades visitadas

No Fórum de Lages foram visitados o Juizado Especial Cível e setores administrativos – distribuição, contadoria, central de mandados, secretaria, serviço social, oficialato da infância e informática. Em Curitibanos, 1ª e 2ª Varas Cíveis, Vara Criminal e Vara da Família, Infância e Juventude.

Taina Borges – Assessoria de Imprensa do TJSC

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!

Deixe um comentário