Júri popular termina com réu condenado a 21 anos de reclusão por feminicídio

No primeiro júri popular do mês de novembro, José Giovani Rodrigues, foi condenado a 21 anos e quatro meses de reclusão pelos crimes de homicídio qualificado por feminicídio, motivo torpe, surpresa e meio cruel, e a oito meses por abandono de incapaz. Ele golpeou a companheira com um pedaço de madeira com uma ponta metálica. Na mesma casa onde o crime ocorreu estava a neta dela, de apenas cinco anos. A sessão desta terça-feira (3) durou cerca de sete horas e foi presidida pelo juiz substituto André Luiz Romanelli Tiburcio Alves.
O homem tem 42 anos e deverá cumprir a pena em regime fechado. Ele está recolhido no Presídio Masculino de Lages desde a data do delito, em novembro de 2019, no bairro Restinga Seca. Ele agrediu a mulher com vários golpes, a maioria na cabeça, enquanto dormia no quarto do casal. O corpo dela foi encontrado na cozinha da residência que fica numa região distante da cidade.
Conforme a denúncia do Ministério Público, ele teria cometido o delito porque um dos filhos da esposa havia subtraído objetos da sua casa. Depois de tirar a vida da companheira, o homem abandonou a criança na casa onde não havia mais ninguém, além do corpo da vítima. Ele poderá recorrer da decisão preso.

NCI/TJSC – Serra e Meio-Oeste

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!